Ruas de Nova Friburgo: Avenida Galdino do Valle Filho

Médico e político, Galdino do Valle Filho foi o criador do Dia da Criança
sexta-feira, 06 de abril de 2018
por Jornal A Voz da Serra
(Fotos: Henrique Pinheiro)
(Fotos: Henrique Pinheiro)

* Trajano de Morais, 24/09/1879  + Niterói, 11/05/1961

Figura das mais proeminentes da nossa história, Galdino do Valle Filho era médico, mas se notabilizou como político. Presidiu a Câmara Municipal, foi prefeito do município, deputado estadual e depois federal. Contribuiu de maneira decisiva para que Nova Friburgo se tornasse um município avançado, dotado de energia elétrica, por exemplo. Galdino foi também um dos principais responsáveis pela instalação das primeiras fábricas da cidade, entre as décadas de 1910 e 1920.

Defendia com vigor os interesses do empresariado local e os pressupostos liberais. Foi perseguido durante o Estado Novo, mas depois que a ditadura de Getúlio Vargas terminou, fundou a União Democrática Nacional (UDN) no município, sendo um dos principais adversários do prefeito Amâncio Azevedo, que tinha um enorme carisma e era muito querido pela população. Em 1923, durante seu 1º mandato de deputado federal, instituiu o Dia da Criança, data homologada no ano seguinte pelo então presidente Arthur Bernardes.

Durante os anos do Estado Novo (1937-1945) dedicou-se ao seu consultório médico de Niterói e à atividade jornalística. Adversário do presidente de Getúlio Vargas, foi preso diversas vezes durante a vigência do “estado-novista”. Em 1945, com o afastamento de Vargas e a redemocratização do país, a UDN atuou como uma frente ampla de oposição a Getúlio Vargas, e Galdino integrou os conselhos diretores desta agremiação no estado do Rio de Janeiro. Indicado por seu partido, foi candidato ao Senado pelo estado do Rio nesse mesmo ano, mas não se elegeu. Durante o governo do coronel Edmundo de Macedo Soares (1947-1951) exerceu a presidência do Conselho Fiscal do Estado do Rio de Janeiro.

Retornou à Câmara dos Deputados em 1951, eleito pela legenda da UDN. Logo após a posse, foi escolhido para ocupar a vice-presidência da Comissão de Segurança da Câmara dos Deputados, vindo posteriormente a presidi-la. Em 1954, em plena campanha para a reeleição, acabou desistindo da candidatura, em virtude do seu precário estado de saúde. Concluiu o mandato em janeiro de 1955, não retornando mais à Câmara.

A “Suíça brasileira”

Galdino do Valle Filho lutou intensamente para construir a imagem de Nova Friburgo como uma cidade progressista: para tanto, chamou o município de "Suíça brasileira". Na época, porém, este rótulo esbarrou em sérios obstáculos para ser aceito pela população, boa parte descendente de portugueses, africanos, italianos e espanhóis. Os próprios industriais, em sua maioria, alemães, que além de muito mais numerosos que os suíços, eram também proprietários e diretores das fábricas aqui instaladas, não aceitaram que a cidade fosse chamada de "Suíça brasileira". Mesmo assim, o título é citado até os dias de hoje e o município orgulha-se de sua primeira leva de imigrantes.

Visão moderna e empreendedora

Nascido numa família de posses, Galdino era filho do doutor Galdino Antonio do Valle, também médico, o que facilitou a projeção do filho. Mas, segundo todos os que se debruçam sobre a história municipal, não foi como médico que ele se destacou. O fator decisivo mesmo foi sua visão de mundo moderna e empreendedora. Ele sonhava transformar Nova Friburgo numa cidade moderna, o que só seria possível através de incentivos às indústrias já existentes e às que certamente viriam para cá, em seguida. Também abraçou integralmente a ideia de mobilizar os friburguenses no sentido de organizar de forma memorável as comemorações do centenário do município, o que de fato ocorreu: assim, Galdino deixou sua marca, também, como um dos principais idealizadores do projeto, em 1918.

Foi professor de clínica médica da Faculdade Fluminense de Medicina, jornalista, fundador de “A Paz, de Nova Friburgo, e do “Diário Fluminense, de Niterói, então capital do estado. Integrou a Sociedade de Medicina do Estado do Rio de Janeiro, a Academia Fluminense de Letras e a Liga de Defesa Nacional. Casou-se em primeiras núpcias com sua prima Evangelina Veiga do Vale, com quem teve quatro filhos, e depois, com Marta de Segadas Viana. Além de artigos em revistas médicas e literárias, publicou os seguintes livros: “Aclimação de animais importados”, “A ionterapia nas uretrites crônicas”, “A descendência alcoólica”, “Modalidade anômala do tifo-forma bubônica”, “Lendas e legendas de Nova Friburgo”, “Livro centenário do Poder Legislativo no Brasil”.

  • A antiga placa dando nome à avenida fixada no muro do Clube de Xadrez

    A antiga placa dando nome à avenida fixada no muro do Clube de Xadrez

  • Situada no número 47 da avenida que tem o seu nome, no centro da cidade, a residência da família Galdino do Valle é um dos últimos remanescentes dos antigos casarões da cidade

    Situada no número 47 da avenida que tem o seu nome, no centro da cidade, a residência da família Galdino do Valle é um dos últimos remanescentes dos antigos casarões da cidade

  • A bela avenida é arborizada ao longo de toda a sua extensão

    A bela avenida é arborizada ao longo de toda a sua extensão

TAGS: Ruas de Nova Friburgo | Galdino do Valle Filho