Rio 2016: boa expectativa para friburguenses no esporte e no turismo

sexta-feira, 05 de agosto de 2016
por Vinicius Gastin
Rio 2016: boa expectativa para friburguenses no esporte e no turismo

A passagem da tocha olímpica acendeu a chama da esperança em cada canto do Brasil, e em Nova Friburgo, não foi diferente. A imagem da Praça do Suspiro devastada pelo desastre natural de 2011 deu lugar à da tocha olímpica nas cadeirinhas do teleférico, renovando o espírito de cada friburguense que conviveu com a tragédia e suas consequências. Há muito para ser feito, mas é inegável que a cidade reage e respira em busca de novos rumos. 

Os Jogos Olímpicos geram polêmicas na concepção de sua realização. Mas é preciso cuidado para não inverter valores. Um grande evento traz legados imensuráveis, e o Brasil não poderia deixar de ter um evento desse porte em seu território. Se existe desvio, superfaturamento ou outro tipo de crime, que haja investigação e punição. O país não pode pagar pelo sistema político corrupto, e deve sim, lutar por sua legitimidade. Não é a olimpíada que não pode acontecer por causa da corrupção, e sim, a corrupção é que não pode existir para atrapalhar qualquer tipo de benfeitoria, projeto ou acontecimento desse nível.

O legado das obras e as melhorias na mobilidade urbana e estruturas diversas, talvez, não aconteceriam sem o impulso dos Jogos. A oportunidade da integração cultural e esportiva também é única, e vai envolver estado e país, com reflexos diretos em Nova Friburgo. A cidade, depois de praticamente 60 anos, volta a ter um atleta representando o Brasil. E mais do que isso: fora do Parque Olímpico, o município pode se aproveitar da chama que contagia todas as nações e atrai os olhares do planeta para o Rio de Janeiro.

Além do esporte: rede hoteleira vibra

Os benefícios dos Jogos vão muito além da parte esportiva. Durante as Olimpíadas do Rio, os hotéis de Nova Friburgo e do interior do estado podem ter 100% de ocupação. A expectativa da Secretaria estadual de Turismo é que 20% dos 540 mil turistas aguardados na capital no período das competições conheçam cidades de fora do eixo metropolitano. Perto do início dos Jogos Olímpicos, a média de quartos de hotéis já reservados no interior estava em 84% e alguns municípios ultrapassam os 95%. 

Serra e litoral empatam na preferência dos turistas que buscam o interior. Cantagalo, por exemplo, já emplaca 100%. Em Nova Friburgo, a expectativa é de que a taxa de ocupação máxima seja atingida neste fim de semana, nos e dias 18 e 22, quando o município do Rio terá feriados. Nos demais dias a rede hoteleira pode alcançar até 95% neste mês.

A Secretaria de Turismo de Nova Friburgo vai promover campanhas dentro do complexo olímpico. Serão pelo menos três dias de divulgação no boulevard olímpico, entre atletas e turistas. A campanha também vai ser feita no Media Center para os jornalistas. Por volta de 30 profissionais da imprensa devem vir a Friburgo para conhecer os pontos turísticos e desenvolver pautas relacionadas ao município, de acordo com o secretário de turismo Nauro Ghres.

“Queremos mostrar, sobretudo, que Nova Friburgo está preparada para receber os turistas. Precisamos aproveitar esse momento e transformar a cidade em mídia positiva. Já conseguimos algo nesse sentido com a passagem da tocha olímpica pela cidade.”

A divulgação é feita através do projeto Rio+3, que tem como foco a divulgação das cidades localizadas a até três horas de distância da capital. O trabalho é feito desde agosto do ano passado, em eventos nacionais e internacionais. A pesquisa de previsão de ocupação durante os Jogos Olímpicos foi realizada pela Associação Brasileira da Indústria de Hotéis, e aponta, ainda, as taxas de 70% para Cabo Frio, 95% para Angra dos Reis, 75% para Arraial do Cabo e 90% para Teresópolis.

TAGS: Jogos Olímpicos