Recado para a mudança

terça-feira, 15 de março de 2016
por Jornal A Voz da Serra

AS MANIFESTAÇÕES do último domingo, 13, deixaram um saldo negativo para os políticos brasileiros. Além do repúdio a figuras que tentaram participar dos atos públicos, o grito das ruas ecoou no Congresso Nacional, com insistentes apelos para a punição de corruptos que participam da vida nacional, englobando deputados, senadores e até ministros de estado.

A DELAÇÃO do ex-líder do governo no Senado, Delcídio do Amaral, homologada pelo Supremo Tribunal Federal ontem, 15, abriu a temporada de caça aos políticos que até então vinham se esquivando de qualquer acusação, dentre eles destacadas figuras do Legislativo. Pelo que se pode observar, a apuração e o julgamento dos personagens da República devem ganhar celeridade, atendendo o recado da população. Não dá mais para protelar, ou, numa linguagem popular, “empurrar com a barriga”.

VEM GANHANDO força em toda a sociedade brasileira a discussão sobre a reforma política, como forma de estancar a onda de irregularidades na vida pública, praticamente interminável. O cidadão brasileiro cada dia se desencanta mais com relação ao processo político, fato este comprovado a cada período eleitoral, evidenciado pelos votos brancos, nulos e abstenções verificadas em cada eleição.

 DIFERENTEMENTE do que ocorre em outros países, o brasileiro não se sente atraído nem vinculado a políticos ou partidos políticos. Em razão de sua dimensão e complexidade, os partidos distanciaram-se do indivíduo, as decisões políticas são tomadas em gabinetes, entre um punhado de líderes partidários, sem que haja a menor condição de participação popular.

COM O objetivo de obter vantagens individuais imediatas, os políticos hoje, infelizmente, não representam mais a sociedade, esquecendo que os partidos são associações de pessoas unidas pelos mesmos ideais. Hoje os partidos chegam ao cúmulo de omitir seus endereços para evitar o ingresso de novos associados que possam vir a tumultuar a “paz interna” dos detentores do comando político.

A INFLUÊNCIA negativa decorrente dessa ausência atinge a todos os municípios, indistintamente. A mudança poria fim a uma série de dissabores e escândalos que hoje assolam a sociedade brasileira, transmitindo a perspectiva de melhores dias para a nossa democracia. O desafio é grande, mas a vontade popular poderá obter êxito na medida em que os parlamentares forem pressionados pelos eleitores a discutir e votar o mais rápido possível a sonhada reforma.

OS POLÍTICOS que vislumbram as eleições de 2016, disputando as cadeiras do Legislativo e nas prefeituras  municipais deveriam mostrar ao eleitor um novo viés das atribuições públicas, lutando pela moralização de uma classe que, se está ruim com ela, através do desempenho de alguns irresponsáveis, ainda é a melhor alternativa para atender os grandes desafios da sociedade brasileira, que luta por avanços no processo democrático.

TAGS: