Projeto de futuro

quarta-feira, 16 de novembro de 2016
por Jornal A Voz da Serra

NA RECENTE campanha eleitoral para a Prefeitura de Nova Friburgo, todos os candidatos afirmaram a necessidade de se construir ciclovias para melhorar o fluxo de veículos na cidade, oferecendo, além de um transporte sem poluição, mais qualidade de vida para a população. Com a vitória de Renato Bravo, a comunidade aguarda medidas que beneficiem este modal de transporte.

HOUVE UM tempo em que as bicicletas foram sendo deixadas de lado pela grande maioria da população como meio de transporte, principalmente nas últimas décadas onde a compra de veículo automotor foi sendo cada vez mais possível aos brasileiros com a facilidade dos financiamentos e a partir da estabilidade econômica. O tempo foi mostrando que os carros e as motos são úteis e ágeis no dia a dia das pessoas, porém, por outro lado, são prejudiciais.

AOS POUCOS, a população foi redescobrindo a bicicleta, reavaliando este veículo de duas rodas ecologicamente correto, sem despesas de combustíveis e com inúmeros benefícios à saúde. As bicicletas foram ressurgindo com o aumento da procura por todos os modelos, porém, surgiu um outro grande problema: não existe espaço para que os ciclistas circulem com segurança entre os inúmeros carros e motos.

SEM CICLOVIA nas cidades e sem acostamento nas rodovias fica impossível andar de bicicleta. Mesmo assim algumas pessoas insistentes estão utilizando a bicicleta no seu dia a dia, usando os equipamentos de segurança disponíveis no mercado. Mas até que ponto eles são realmente seguros? As chances de evitar acidentes estão mais nas mãos do condutor do veículo de quatro rodas do que no de duas rodas. O veículo maior se sobrepõe ao menor, portanto, qualquer colisão pode ser fatal.

EM TODO O Brasil, a luta por ciclovia vem se tornando projeto de futuro e para atender uma demanda crescente, porém distante de sair do papel. Enquanto isso, milhares de ciclistas se arriscam nas cidades e nas rodovias todos os dias, desafiando congestionamentos e buscando alternativas para usufruir dos benefícios que o ciclismo proporciona a saúde, o bem-estar e a própria competitividade saudável que o ciclismo como esporte tem trazido tanto para os jovens como para os adultos.

A FROTA DE automóveis nas grandes cidades do país, só aumenta e as bicicletas tentam conquistar seu espaço e os números demonstram que essa luta deve continuar. Levantamento nas prefeituras das 26 capitais do Brasil mostra que, juntas, elas possuem apenas 1.118 quilômetros de ciclovias – o que representa apenas 1% do total da malha viária das cidades (97.979 quilômetros de ruas).

O BRASIL TEM hoje cerca de 70 milhões de bicicletas, mas quase não há lugares exclusivos e seguros para se trafegar. Em meio à crescente frota de automóveis, as “magrelas” tentam conquistar seu espaço. Cabe ao poder público mudar essa realidade.

 

TAGS: