Programa Vem Passarinhar registra 239 espécies de aves

Iniciativa estimula a observação de aves em unidades de conservação
segunda-feira, 04 de novembro de 2019
por Jornal A Voz da Serra
O arapapá é uma das aves ameaçadas de extinção (Reprodução da web)
O arapapá é uma das aves ameaçadas de extinção (Reprodução da web)

O Parque Estadual dos Três Picos, localizado na Região Serrana, promoveu no final de outubro o Programa Vem Passarinhar, na própria unidade e nas proximidades do parque, com a participação de 71 observadores, e o registro de 239 espécies de aves. A atividade também foi realizada na Área de Proteção Ambiental (APA) Estadual de Macaé de Cima e na Reserva Particular do Patrimônio Natural (RRPN) da Reserva Ecológica do Guapiaçu.

O programa é idealizado pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea), órgão vinculado à Secretaria estadual do Ambiente e Sustentabilidade, e tem como objetivo inspirar e unir pessoas interessadas em proteger, e desfrutar da observação de aves em unidades de conservação.

Das espécies observadas, 68 são endêmicas da Mata Atlântica e nove estão ameaçadas de extinção, com destaque para a marreca-cabocla (Dendrocygna autumnalis); a juruva (Baryphthengus ruficapilla); o chibante (Laniisoma elegans); a tesoura-cinzenta (Muscipipra vetula); e o arapapá (Cochlearius cochlearius).

“Esta edição bateu o recorde de número de participantes e de espécies observadas. A atividade também contou com a participação de 19 crianças. Foi muito gratificante poder ver os pequenos interessados em conhecer a biodiversidade do parque”, ressaltou o biólogo João Rafael Marins, que coordena o programa estadual.

A gestora da Parque, Mayara Barroso de Faria, também comemorou o sucesso de público. “Com a organização em conjunto da APA Macaé de Cima e a RPPN Reserva Ecológica do Guapiaçu, conseguimos mobilizar um grande número de participantes. Isso mostra que as pessoas estão interessadas em conhecer a riqueza da diversidade biológica”, destacou.

Corredor ecológico central 

A programação teve início na APA Macaé de Cima, com o envolvimento de 19 crianças do programa Guarda-Parque Mirim. Além das aves, os participantes também avistaram duas espécies de mamíferos ameaçados de extinção e endêmicos da Mata Atlântica: a preguiça-de-coleira (Bradypus torquatus) e o sagui-da-serra-escuro (Callithrix aurita) que, até então, não tinham sido observados no local.

Nesse dia, também foi realizada a observação noturna de aves, batizada de “Corujada”, nas trilhas do Parque Estadual dos Três Picos, em Cachoeiras de Macacu. O programa também chegou à estrada Velha/Theodoro, em Friburgo, e também na sede do Parque Estadual dos Três Picos, em Cachoeiras de Macacu. À noite, houve a Corujada na RRPN Reserva Ecológica do Guapiaçu. Além das aves de hábitos noturnos, os participantes também avistaram algumas espécies de anfíbios, como o sapo-de-chifre (Proceratophrys boiei); a perereca-de-vidro (Vitreorana uranoscopa); e a perereca-da-folhagem (Pithecopus rohdei). Os observadores visitaram as trilhas da RPPN Reserva Ecológica do Guapiaçu, também em Cachoeiras.

Com 65.113 hectares, o Parque Estadual dos Três Picos abrange partes dos municípios de Teresópolis, Nova Friburgo, Guapimirim, Cachoeiras de Macacu e Silva Jardim. A APA de Macaé de Cima é uma unidade de conservação com 35.038 hectares de área protegida, em Friburgo. Um dos objetivos da criação da unidade de conservação é assegurar a preservação dos remanescentes de Mata Atlântica; preservar espécies raras, endêmicas e ameaçadas de extinção e integrar o corredor ecológico central da Mata Atlântica no estado do Rio de Janeiro. 

 

TAGS: Meio Ambiente