Primavera: tempo de flores, cheiros, cores, abelhas e borboletas

As abelhas normalmente polinizam flores amarelas e azuis
sábado, 21 de setembro de 2019
por Ana Borges (ana.borges@avozdaserra.com.br)
Primavera: tempo de flores, cheiros, cores, abelhas e borboletas

Via de regra, a primavera marca o início do reaquecimento do clima após os meses de inverno, quando as temperaturas, geralmente, são consideravelmente baixas. Embora, atualmente, mais congelantes, até, ou mesmo um algo aquecidas, como que misturando, literalmente, as estações.  

Mas, seguindo o estabelecido, as condições da primavera tradicional, propiciam um início do período de reprodução de muitas árvores e plantas, o que faz com que ela seja conhecida como a estação das flores, colorindo a natureza como se fosse uma tela a óleo vibrante.

Os animais e as plantas tendem a sair de um estado de “hibernação” (alguns, como os ursos, literalmente) do inverno, reanimando-se e trazendo vida e movimento para a natureza. Se considerarmos que o inverno e o verão são os extremos das estações do ano, com máximas e mínimas de temperatura, tanto o outono quanto a primavera são períodos de temperatura amena e agradável. Marcam a mudança da paisagem, como que preparando a natureza para a próxima estação.

É nessa época que os animais polinizadores, como as abelhas, ficam muito mais ativos, aumentando consideravelmente o ciclo reprodutivo das plantas. Isso coincide com o início do período de chuvas, que geralmente tem seu pico no verão. Assim, a umidade relativa do ar aumenta com o crescimento da temperatura, criando as condições ideais para a reprodução vegetal.

Uma característica marcante da primavera é a duração dos dias e das noites. De maneira geral, em média, dia e noite possuem quase que a mesma duração, exceto no equinócio. À medida que a primavera vai passando, os dias vão ficando maiores, com maior incidência de raios solares.

Além de ser considerada uma das estações mais bonitas, é também considerada por muitos a estação mais agradável, por ser de transição entre uma estação de temperaturas baixas para uma estação de elevadas temperaturas.

Céu azul, campos floridos

O Brasil é um país marcado por transições gradativas de temperatura. Se no Hemisfério Norte os invernos são congelantes e os verões quase insuportáveis, aqui no Brasil os extremos tendem a ser mais amenos, tanto para o calor quanto para o frio.

Nesse contexto, a primavera compreende um período de gradativo aumento da temperatura e das incidências de chuvas. É durante a primavera que atua o El Niño, fenômeno natural proveniente da costa sul-americana do oceano Pacífico, que traz mais chuvas para a região centro-sul do Brasil e mais secas para as regiões norte e nordeste.

Se o estereótipo mais marcante da primavera é a ideia de céu azul e campos floridos, nem todas as regiões do Brasil podem dizer o mesmo. Com o aumento das precipitações, é muito comum observarmos um céu nublado, com chuvas constantes que se prolongam até o verão.

Entretanto, a alta de umidade é sempre bem vinda, uma vez que, via de regra, o inverno brasileiro é marcado por baixas temperaturas e muita seca. Como não há ainda a incidência de calor muito forte, a primavera costuma ser considerada uma das estações mais agradáveis de todo o ano.

Entre abelhas e borboletas, besouros e morcegos

Que a flora brasileira é a mais rica do mundo, todo mundo já sabe. Dono da maior biodiversidade do planeta, o Brasil conta com o privilégio de assistir essa flora desabrochar durante a primavera. As principais flores de primavera, no Brasil, são: alamanda, boca-de-leão, crisântemo, dama-da-noite, estefânia, frésia, gérbera, girassol, hibisco, hortênsia, jasmim, jasmim-estrela, lágrima-de-cristo, margaridinha, narciso, orquídea, rosa, violeta.

Cada uma dessas flores apresenta suas próprias características, desabrochando em diferentes regiões do país, enfeitando jardins, parques, ruas, canteiros, janelas, jardineiras. E por que as flores são coloridas e perfumadas? As flores encantam principalmente por suas cores vibrantes e perfume sem igual. Mas essas características possuem alguma importância na sobrevivência das plantas? 

Como sabemos, nem todas as plantas possuem flor. As plantas que apresentam essa característica são chamadas de “angiospermas”. A presença de flor é, sem dúvida, uma característica bastante importante, uma vez que ela permite uma reprodução mais eficiente.

Para que uma angiosperma reproduza-se, é necessário que o grão de pólen seja levado da parte masculina da flor para a parte feminina de outra. Para que isso aconteça, faz-se necessário um agente polinizador, ou seja, algo que seja capaz de transportar o pólen entre as flores. Dentre os principais agentes polinizadores, destacam-se o vento, a água e alguns animais.

As flores vibrantes e perfumadas quer citamos acima, estão relacionadas principalmente com a polinização por animais. Isso se deve ao fato de que a flor atua como uma forma de atração para os polinizadores, sendo assim, são necessários mecanismos que garantam a visitação desses animais. Entra em cena, ela, a rainha da polinização, a abelha!

As abelhas são atraídas por flores de coloração azul ou amarela e nunca visitam flores vermelhas. Isso se deve ao fato de que esses animais enxergam o ultravioleta. Além disso, elas preferem flores que possuem cheiro de alimentos em fermentação.

Chegada nesta segunda

A primavera chega nesta segunda-feira, 23, e é nesta época que acontece a reprodução das abelhas. Além de famosas pela produção do mel, um poderoso alimento para a humanidade, as abelhas também carregam consigo a missão de polinizar a maior parte das plantas que existem. Por isso, estudar e compreender o processo de reprodução das abelhas se tornou essencial para a sustentabilidade de nosso planeta. A polinização, fruto do trabalho das abelhas, é crucial para a produção dos alimentos que comemos e para a reprodução de plantas usadas na alimentação de gado e outros animais. O que torna as abelhas insetos extremamente importantes para nosso ecossistema. Sem a atuação delas, nosso meio ambiente sofreria sérios danos. 

Já as flores bastante vistosas normalmente atraem as aves, pois estas possuem uma ótima visão. O odor dessas plantas, no entanto, não é forte, uma vez que aves não possuem olfato apurado. Outra característica das flores visitadas por aves é a grande quantidade de néctar nela encontrado, garantindo, assim, uma alimentação adequada para o animal. 

As flores polinizadas por borboletas também são vistosas, normalmente vermelhas, amarelas ou azuis. Além disso, essas flores deixam o seu néctar acessível somente para algumas espécies que apresentam o aparelho bucal longo.

Morcegos e besouros também polinizam, sabia? Os primeiros preferem flores com cheiro de fruto maduro e com pouca coloração. Como esses animais apresentam hábitos noturnos, a coloração das flores não seria uma forma de atração. E as flores polinizadas por besouros também são menos vistosas e normalmente brancas.

Já as moscas também podem atuar como polinizadoras, mas, nesses casos, sua flor preferida normalmente é pouco atrativa para os humanos, possuindo, na maioria dos casos, odor de organismos mortos em decomposição.

Cada ser vivo apresenta uma característica que permite sua sobrevivência em um determinado ambiente, e com as plantas não poderia ser diferente. Cada atributo acima citado permite que o vegetal reproduza-se eficientemente e garanta a permanência da sua espécie na Terra.

(Fonte: blog Stoodi/Beatriz Abrantes e site Escola Kids)

 

TAGS: Clima