Prefeitura vai contratar 44 agentes temporários para combater mosquitos

Aumento dos casos de chikungunya vem preocupando a Secretaria Municipal de Saúde
sexta-feira, 23 de novembro de 2018
por Alerrandre Barros (alerrandre@avozdaserra.com.br)
Prefeitura vai contratar 44 agentes temporários para combater mosquitos

A secretária municipal de Saúde de Nova Friburgo, Tânia Trilha, disse que vai realizar um processo seletivo para contratação temporária de 44 agentes de endemias para ações de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya. O projeto de lei que trata da seleção será encaminhado à Câmara de Vereadores nos próximos dias. A contratação depende de autorização do legislativo. As inscrições podem ser abertas em dezembro.

O anúncio foi feito por Tânia durante reunião de reativação do Comitê de Mobilização Social Contra o Aedes aegypti, realizada na manhã da última quarta-feira, 22, no do auditório da Policlínica Sylvio Henrique Braune, no Suspiro. O grupo é composto por representantes de associações de moradores, Corpo de Bombeiros, Sanatório Naval, Tiro de Guerra, unidades de saúde públicas e particulares, secretarias municipais de Defesa Civil, Serviços Públicos e Educação e Saúde.

“Nova Friburgo é uma área considerada propícia para proliferação do mosquito, em função do alto volume de chuvas e quantidade de depósitos que servem de criadouro. Caixas d’água destampadas, lixo e entulho abandonados estão entre os principais pontos de reprodução do Aedes na cidade, segundo levantamento dos agentes de saúde”, disse Tânia Trilha, alertando para as ações de prevenção.

De acordo com a subsecretária de Vigilância em Saúde, Fabíola Braz Penna, “o município tem preocupação com a circulação de três tipos de vírus neste período do ano: o da dengue, zika e chikungunya. Assim, a reativação do comitê busca traçar políticas de saúde voltadas para o atendimento de pacientes acometidos por estas doenças e, principalmente, o combate ao vetor”, afirmou ela no encontro.

Casos de chikungunya com aumento expressivo

Conforme A VOZ DA SERRA noticiou no último sábado, 17, os casos de chikungunya aumentaram 175% em Friburgo este ano. Vinte e duas pessoas contraíram a doença. Por outro lado, os casos de dengue caíram 52%. Foram notificados 704 suspeitas em 2017 e confirmadas 38. As suspeitas de zika, em grávidas, também caíram de 33, em 2017, para 18 em 2018. Nenhum caso foi confirmado até outubro deste ano.

No estado do Rio de Janeiro a situação é ainda mais crítica. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, houve aumento de 720% nas infecções por chikungunya. Os casos subiram de 4.293 em 2017 para 32.245 até outubro deste ano. Casos confirmados de dengue subiram 41%, passando de 9.715 casos em 2017 para 13.765 em 2018. Já em relação ao zika, houve redução de 12%, passando de 2.378 casos em 2017 para 2.072 neste ano.

União de forças contra o Aedes

O prefeito de Nova Friburgo, Renato Bravo, também participou da reunião no posto do Suspiro e disse que o trabalho de enfrentamento ao Aedes aegypti não é só da Secretaria Municipal de Saúde, mas de todo governo municipal e, por isso, vários setores estão engajados na prevenção. “A previsão de chuvas para o verão requer um cuidado permanente com ações. E nós vamos fortalecer as ações de orientação porque é importante que todos estejamos unidos nesta missão”.

Atitudes simples de vistoria a casas, apartamentos e espaços abertos, que levam cerca de dez minutos, podem ajudar no combate ao mosquito. Além de não deixar água parada em casa, a população pode apoiar o trabalho dos agentes verificando possíveis focos do mosquito em terrenos ou imóveis abandonados em seu bairro. A Subsecretaria Municipal de Vigilância em Saúde deve ser acionada para fazer a checagem do local. O telefone é (22) 2523-1889.

 

TAGS: saúde