Prefeitura ignora Sepe e se reúne com Sindicato dos Servidores

Greve no ensino municipal continua pelo menos até a próxima segunda, quando haverá nova assembleia
sexta-feira, 23 de agosto de 2019
por Fernando Moreira (fernando@avozdaserra.com.br)
A reunião desta quinta
A reunião desta quinta

 

Após a audiência de conciliação realizada no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), no Rio de Janeiro, na última terça-feira, 20, na qual não houve acordo entre a Prefeitura de Nova Friburgo e o Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe), os servidores da educação municipal em greve desde o último dia 8, decidiram, em assembleia, manter a greve. De acordo com o Sepe, a paralisação continua pelo menos até a próxima segunda-feira, 26, quando será realizada nova assembleia da categoria para discutir os rumos do movimento. 

No TRT não houve acordo porque o Executivo Municipal não reconheceu a representatividade do Sepe, que deverá apresentar sua defesa à Justiça. Para a prefeitura, o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Nova Friburgo (Sinsenf) “é o legítimo representante sindical de todos os segmentos dos servidores municipais e também é o sindicato reconhecido pelo Executivo como o único representante legal da categoria e de todos os demais servidores públicos municipais”.

Prefeitura se reúne com o Sinsenf

Nesta quinta-feira, 22, a Prefeitura de Nova Friburgo divulgou nota informando que o presidente do Sinsenf, Ricardo Rocha, e o diretor jurídico do sindicato, Raphael Marins, foram recebidos esta semana pelo procurador-geral do município, Ulisses da Gama, e pelo secretário municipal de Educação, Igor Pinto, “para iniciar tratativas com vistas a legitimar qualquer eventual acordo futuro entre prefeitura e servidores da Educação em geral”.

A VOZ DA SERRA entrou em contato com Ricardo Rocha, que confirmou o encontro, mas fez uma correção: “Na verdade a reunião não foi exatamente para iniciar as tratativas, porque o Sinsenf já negocia com a prefeitura desde o início do ano. O próximo encontro, inclusive, já está agendado para o dia 4 de setembro, quando serão tratados assuntos relacionados ao Plano de Cargos, Carreiras e Salários de todos os servidores municipais”, pontuou.

Enquanto representantes do Sepe se queixam que não são recebidos pelo prefeito ou pela Secretaria de Educação, Ricardo Rocha garante que o Sinsenf não pode dizer o mesmo: “Sempre tivemos as portas da prefeitura abertas. Disso não podemos reclamar”, garantiu.

Sinsenf: “Não temos nada contra o Sepe”

Ainda de acordo com a nota enviada pela prefeitura, “enquanto aguarda decisão do TRT sobre a legalidade da greve, o município ratifica que os temas envolvendo as reivindicações dos servidores só podem ser tratados com o Sinsenf, o qual já vem acompanhando outras ações de interesse de todos os servidores municipais”. Mas o Sinsenf não quis se pronunciar se é favorável à greve da Educação, ou não.

“Não cabe a nós dizer se somos a favor ou contra a greve. Quanto à representatividade do Sepe, isso é uma questão deles com a prefeitura. Que fique claro que o Sinsenf não tem nada contra o Sepe, mas não nos cabe emitir qualquer opinião sobre esse assunto. Na nossa avaliação, todas as reivindicações são sempre justas, no entanto, precisamos entender que o momento do país é complicado. As lutas têm sido mais para não perder direitos, do que para reivindicar melhorias”, afirmou Ricardo Rocha.

Ainda segundo ele, o Sinsenf nunca sinalizou com uma greve, pois acredita no cumprimento do prazo que foi estipulado no TAC firmado entre a Prefeitura de Nova Friburgo e o Ministério Público do Trabalho (MPT), que estabeleceu o dia 20 de abril de 2020 como prazo final para o município apresentar um Plano de Cargos, Carreiras e Salários para todos os servidores e funcionários de apoio municipais.  

Sepe ainda não se pronunciou

A VOZ DA SERRA também entrou em contato com a direção do Sepe em busca de um posicionamento oficial do sindicato sobre a reunião entre a prefeitura e o Sinsenf, no entanto, até o fechamento desta edição ninguém havia se pronunciado.

 

TAGS: Protesto | Greve | Educação