Praça de Lumiar: a mistura do Brasil Colônia com o contemporâneo

Local é palco de grandes eventos e ponto de encontro de turistas e moradores da região
quinta-feira, 15 de março de 2018
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
O coreto da Praça de Lumiar (Fotos: Henrique Pinheiro)
O coreto da Praça de Lumiar (Fotos: Henrique Pinheiro)

Um ponto de paz e tranquilidade. Um lugar para relaxar. Mais do que isso, a Praça Carlos Maria Marchon, no centro do distrito de Lumiar, é um ponto de encontro de lumiarenses, turistas e atividades culturais. A praça não está geograficamente no centro da localidade, mas é ali, de fato, o “centro” de Lumiar. É onde tudo acontece. Aglomeram-se a sua volta bares, restaurante, cartório e o Centro Gastronômico Cultural – o Casarão de Lumiar.

“Nós estamos no principal chamariz de Lumiar, até por conta da questão dos casarões, essa praça ganha um charme ainda maior. Nós ainda temos os casarões da época do Brasil Colônia totalmente preservados. Quando o turista chega na praça de Lumiar se depara com essa charmosa arquitetura. É praticamente amor à primeira vista”, conta a presidente da Associação de Moradores de Lumiar, Sílvia Faltz.

A mistura do Brasil Colônia com o que há de mais moderno faz com que a praça Carlos Maria Marchon se destaque das demais praças de Nova Friburgo. Na praça de Lumiar localiza-se o antigo chalé da família De Roure, adquirido posteriormente por Carlos Maria Marchon seguido de Eugênio Guilherme Spitz, hoje um espaço comercial, de artesanato, bares e restaurantes.

Próxima à praça encontra-se a igreja de São Sebastião, padroeiro de Lumiar, construída em 1901. O artesanato feito nos ateliês e os restaurantes e bares, com música ao vivo, tem famosos fondues e chocolates, além da truta, peixe dos rios da região. São também imperdíveis as tradicionais festas típicas da localidade que atraem não só moradores, mas também turistas, como as festas de São Sebastião, em janeiro; a tradicional festa de São Pedro, em junho e em julho; a tradicional Festa da Vila Mozer; o campeonato de canoagem em setembro e a festa do aniversário de Lumiar, em 10 de outubro. Muitos desses eventos, obviamente, são realizados na praça de Lumiar.

“É um ponto de encontro dos lumiarenses e dos turistas. Ela é muito charmosa. Aqui fazemos grandes eventos, como foi o carnaval deste ano. A rua ficou fechada e a praça lotada”, diz Sílvia. Exemplos de manifestações culturais não faltam, como as apresentações da centenária banda Euterpe Lumiarense e os festivais de dança promovidos pelo Centro de Artes de Lumiar (Calu).

Ainda de acordo com a presidente da associação de moradores do quinto distrito, a praça é o principal ponto de Lumiar pela sua importância ao sediar grandes eventos. “É um lugar que as pessoas gostam de ficar. Quando tem circo as crianças enchem esse lugar e acompanham aficionadas a apresentação. Aqui é um espaço de realizações. No Dia Internacional da Mulher fizemos atividades aqui com a adesão de muita gente”, disse Sílvia.

 

TAGS: praças | 200 anos | Turismo