Posto do Suspiro oferece 90 testes rápidos na semana de combate à Aids

Exames voltam a ser realizados dentro do cronograma normal do posto de saúde, às terças e quintas
sábado, 01 de dezembro de 2018
por Paula Valviesse (paula@avozdaserra.com.br)
Posto do Suspiro oferece 90 testes rápidos na semana de combate à Aids

Basta apenas uma espetadinha na ponta do dedo para colher a amostra de sangue e em cerca de 30 minutos a pessoa já recebe os resultados dos exames nos testes rápidos para diagnosticar o vírus HIV (causador da Aids) e a sífilis. Os testes já são normalmente oferecidos gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS), mas na semana que antecedeu o Dia Mundial da Luta Contra a Aids, celebrado neste sábado, 1º de dezembro, a Secretaria de Saúde de Nova Friburgo decidiu realizar uma grande ação de diagnósticos, com exames realizados da segunda-feira, 26, até esta sexta-feira, 30.

Em uma semana foram oferecidos 90 testes rápidos no Posto de Saúde Sylvio Henrique Braune, no Suspiro. E todas as pessoas já saíram da unidade com os seus resultados, uma vez que cada consulta leva o tempo necessário para que o diagnóstico fique pronto. Nesse meio tempo, os pacientes receberam aconselhamentos, puderam tirar dúvidas a respeito das doenças, seus tratamentos e formas de prevenção. Tudo isso com a garantia do sigilo que determina que apenas a pessoa e o profissional de saúde que realizou o teste tenham acesso ao resultado. Em casos positivos, a pessoa já é devidamente orientada e encaminhada para aconselhamento e tratamento.

E mesmo com o encerramento da ação especial, os testes ainda podem ser realizados. No posto no Suspiro eles são oferecidos todas as terças e quintas-feiras, em dois horários: das 8h às 11h30 e das 13h às 16h30. Os exames incluem, além de HIV e sífilis, os diagnósticos das hepatites virais B e C.

Para fazer o exame é aconselhável que as pessoas cheguem antes para a retirada de fichas. Segundo os profissionais da unidade de saúde, são oferecidas 20 fichas de atendimento nos dias de realização, metade pela manhã e a outra na parte da tarde.

O Ministério da Saúde estima que 866 mil pessoas vivam com HIV no Brasil. O dado faz parte do último boletim lançado pelo ministério, na terça-feira, 27. De acordo com o levantamento, em quatro anos, a taxa de mortalidade pela doença passou de 5,7 por 100 mil habitantes em 2014 para 4,8 óbitos em 2017. Para o órgão, essa diminuição se dá pela garantia do tratamento e também pela melhoria do diagnóstico, que está mais rápido e com acesso ampliado.

 

 

TAGS: Aids