Polícia Militar lança o aplicativo Linha Direta

Ferramenta também permite pedir socorro para familiares e amigos, além da polícia
segunda-feira, 02 de dezembro de 2019
por Jornal A Voz da Serra
Polícia Militar lança o aplicativo Linha Direta

Entrou em funcionamento o aplicativo Linha Direta, que vai estabelecer mais um canal de contato do cidadão com a Polícia Militar do Estado do Rio. Pelo aplicativo, basta que, em qualquer situação de emergência, o morador cadastrado aperte um botão e grave um áudio de até 15 segundos relatando o problema. A PM será notificada através do 190 para prestar socorro imediato.

O aplicativo está disponível nas versões para Android e iOS.

Segundo a PM, os cidadãos fluminenses podem cadastrar pessoas próximas como parentes ou vizinhos para que estas recebam um alerta de emergência caso estejam passando por alguma situação de risco. Com o apertar de um botão, o cidadão poderá gravar uma mensagem de 15 segundos e informar a localização exata. Os contatos registrados e as forças policiais receberão o aviso de emergência. Para a segurança do cidadão, o aplicativo se fecha automaticamente após a gravação, sem deixar rastros.

Confira aqui o vídeo e entenda como funciona o aplicativo.

Como os vizinhos e parentes também recebem o pedido de ajuda, o tempo médio de atendimento das ocorrências caiu, nos testes já realizados, de 14 minutos para 45 segundos, o que muitas vezes pode evitar um crime. No app, o cidadão pode indicar se vai notificar a PM ou apenas as pessoas próximas. Em média, 70% das comunicações foram feitas para pessoas conhecidas e não para o 190.

“A ideia do Linha Direta é tornar a ação policial muito mais rápida e assertiva, além de contribuir com a diminuição do número de trotes, já que o contato do usuário fica registrado. O aplicativo está em operação no 15º BPM (Duque de Caxias) e 41º BPM (Irajá, na Zona Norte do Rio), funcionando como o 190 digital, na palma da sua mão”, mas deverá ser estendido a todo o Estado, explicou o coronel Mauro Fliess, porta-voz da Polícia Militar.

 

 

 

TAGS: Segurança