Poesia de Vitor Nascimento é selecionada em antologia

segunda-feira, 12 de agosto de 2013
por Jornal A Voz da Serra
Poesia de Vitor Nascimento é selecionada em antologia
Poesia de Vitor Nascimento é selecionada em antologia

O assistente editorial Vitor Nascimento está radiante. Uma de suas poesias foi selecionada para integrar a antologia poética "100 Poemas 100 Poetas - volume 2”, da editora Literacidade, de Belém (PA), numa o organização de Abílio Pacheco, ano 2013. E o sucesso do jovem prodígio vai mais longe: a próxima publicação do autor, em "II Antologia de Poetas Brasileiros Contemporâneos”, da editora Clube de Autores, com organização de Elenilson Nascimento, ano 2013, também inclui uma poesia de Vitor. A nova antologia tem lançamento previsto para a XVI Bienal do Livro do Rio de Janeiro.

Vitor é carioca, nascido em 1986, radicado em Nova Friburgo desde pequeno, onde estudou. Filho de Rosane e do fotógrafo Daniel Marcus, é formado em comunicação social pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj). O gosto pela escrita começou cedo. Desde criança, Vitor participa de concursos de poesias e história. Em 2009 criou o blog de poesias, contos e pensamentos intitulado Neo Sofista (neosofista.blogspot.com.br). 

A publicação de textos do autor na internet ampliou a dimensão de seu trabalho e serviu de estímulo para sua dedicação cada vez maior à escrita, que sempre foi sua paixão. Atualmente ele trabalha como assistente editorial e se prepara para lançar seu primeiro livro de poesias.

O organizador da antologia poética, Abílio Pacheco, é professor universitário de literatura, mestre em letras, escritor, editor e revisor de textos. É membro correspondente da Academia de Letras do Sul e Sudeste Paraense e doutorando em literatura. 

Ao contrário do primeiro volume, que demorou meses entre a chamada e o prelo (talvez pelo fato de ser cooperativado), este foi rápido para a prensa. Os novos tempos exigem rapidez, embora tenha chegado poemas de 843 autores brasileiros. Pacheco recebeu poemas de todos os estados e também de autores que escreveram em língua portuguesa e que residem em Portugal, Moçambique, Açores e Japão. E mais uns 70  escreveram depois do prazo pedindo prorrogação e outro tanto declarou terminantemente não enviar poema pois em 14 linhas não dava para escrever nada.

Mas o desafio era exatamente este: exercitar a concisão. Já no prefácio do volume I o organizador citou as desculpas de padre Antônio Vieira para o fato de enviar carta longa demais, pois não tivera tempo de escrever uma menor. "Escrever pouco, além de não ser nada fácil, leva tempo: lapidar, cortar, limar... deixar ‘o cavalo que a gente ganha de graça ser recomendável que nós não olhemos largura e tamanho’ e ‘cavalo ganho não se vê tamanho’ é coisa que leva séculos. Da mesma forma não pense o leitor que um poema curto não exige vagar. Ler um poema conciso exige uma leitura com siso.”


Visita Ansiada

Nesses dias de inverno

Uma faísca basta

Para acender o inferno

E construir minha paisagem

De vigas retorcidas

Expostos no meio-fio

Os ventres lacerados

Destes vermes meus

Estripados

Fartos das vis enormidades

Da voragem

De um contentamento

Sem tamanho

Quando me irrompes porta adentro


TAGS: