Pela Afape, Teleférico trocará bilhetes por alimentos

Ação social para ajudar a entidade beneficente acontece nos dias 12 e 19 deste mês
segunda-feira, 09 de abril de 2018
por Dayane Emrich (dayane@avozdaserra.com.br)
Pela Afape, Teleférico trocará bilhetes por alimentos

Com o objetivo de ajudar a Associação Friburguense de Amigos e Pais do Educando (Afape), o Teleférico de Nova Friburgo realizará na próxima quinta-feira, 12, e no dia 19, mais uma ação social. A proposta é que moradores e turistas possam subir o primeiro estágio do ponto turístico, entre a Praça do Suspiro e o mirante, nas duas datas, trocando os ingressos por um quilo de alimento não perecível.  

De acordo com os organizadores da iniciativa, entre os alimentos pedidos estão: arroz, feijão, café, macarrão, biscoito, uma lata de leite em pó ou de achocolatado. Para o presidente da Afape, Iomar Pinheiro Penza Filho, a ação será de grande ajuda à instituição. “Essa ação é de suma importância para a gente, pois vai nos tranquilizar em relação aos alimentos. Assim, poderemos continuar oferecendo o café da manhã, almoço e lanche da tarde para as crianças”, disse ele, acrescentando: “Agradeço ao empresário Gilberto Sader e a todos os demais que estão apoiando esse evento”, disse ele.  

Os alimentos serão entregues à Afape, no próximo dia 26, uma quarta-feira, durante um evento festivo, que acontecerá das 13h às 17h, no primeiro estágio do Teleférico.     Na ocasião, haverá shows, roda de capoeira, judô e aulas de zumba. Os brinquedos do local: boliche, boneca Eva e outros estarão abertos gratuitamente para as crianças da Afape. A iniciativa contará com o apoio da Sociedade dos Amigos da Marinha (Soamar), do Sanatório Naval, Tiro de Guerra, Lions Clube de Nova Friburgo, TV Zoom, InterTV e A VOZ DA SERRA.

Durante a semana o valor do ingresso para o teleférico custa R$ 15 para moradores (apresentando comprovante de residência) e R$ 20 para turistas. Nos fins de semana, os valores são R$ 20 e R$ 25. O ponto turístico funciona das 9h às 17h.

Dificuldades financeiras

Pioneira em toda região na prestação de serviços para a melhoria da qualidade de vida dos portadores de necessidades especiais, a Afape enfrenta atualmente uma série de dificuldades financeiras. De acordo com Iomar, a entidade corre riscos de fechar as portas.

“A situação está muito difícil  e as dívidas somam mais de R$ 400 mil. Estamos trabalhando muito para conseguir manter a instituição em funcionamento. Nossa esperança é vender o casarão da Vila Amélia. Mas, para isso, dependemos da ajuda do prefeito para que seja tombada somente a fachada do imóvel permitindo assim que possa ser feita uma nova construção no local. Com o dinheiro da venda, pagaremos as dívidas. Sem isso, sinceramente, não vamos chegar ao fim do ano com a instituição aberta”, acredita o presidente.

Situada na Avenida José Pires Barroso (Via Expressa), no bairro Olaria, a Afape foi fundada em 15 de setembro de 1962 e surgiu de uma iniciativa da saudosa educadora Olga Magliano Bastos. Seu objetivo era oferecer atendimento a crianças com deficiência ou necessidades educacionais especiais de várias faixas etárias, promovendo a inclusão social e transformando-os em cidadãos conscientes e atuantes.

Para isso, a associação conta com uma equipe multidisciplinar, formada por diferentes profissionais, como psicólogos, fisioterapeutas, instrutores e professores de informática, esportes, dança e música. Mais informações sobre a entidade podem ser obtidas pelo telefone (22) 2522 8608.

 

TAGS: