Parlamento Juvenil: eleição pela internet vai até domingo

Em Friburgo, quatro estudantes concorrem a uma cadeira na Alerj
quinta-feira, 04 de julho de 2019
por Jornal A Voz da Serra
Parlamento Juvenil: eleição pela internet vai até domingo

Começou nesta quarta-feira, 4, o segundo turno da eleição que vai definir os representantes de cada município fluminense na 12ª edição do Parlamento Juvenil. O projeto da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) tem o objetivo de aproximar da política os estudantes de escolas públicas, permitindo que eles vivam a experiência de um deputado estadual, votando e aprovando projetos no plenário da Casa. A votação é online e acontecerá até o próximo domingo, 7, por meio da página parlamento-juvenil.rj.gov.br. 

Apesar do maior interesse dos jovens fluminenses em participar do projeto, o inverso aconteceu em Nova Friburgo. Se em outros anos o número de inscritos surpreendeu positivamente, em 2019 são apenas quatro candidatas na cidade. Duas do Instituto de Educação de Nova Friburgo (Ienf), uma do Colégio Estadual Professor Carlos Cortes e outra do Colégio Estadual Carlos Maria Marchon. Os nomes das estudantes não foram divulgados. 

Nessa etapa do processo eleitoral do projeto, os candidatos municipais representam as diferentes escolas onde já foram eleitos no 1º turno. Cada cidade terá um representante no PJ, com exceção de Niterói, Duque de Caxias e São João de Meriti, que elegerão dois representantes cada, porque tiveram o maior número de inscritos. Como a capital é dividida em três regiões, de acordo com critérios da Secretaria de Estado de Educação (Seeduc), a cidade do Rio terá um representante de cada uma delas, totalizando três parlamentares juvenis.

Este é o segundo ano em que a eleição do 2º turno ocorre totalmente online. A plataforma criada pela Alerj garante que cada estudante da rede estadual, portando o seu número de matrícula, só consiga votar uma vez e apenas em um dos representantes do seu município. O coordenador do projeto, o ex-deputado Wanderson Nogueira, acredita que esse modelo garante maior transparência e participação. “Antes, a eleição era no papelzinho, não tínhamos controle e as escolas com mais alunos se beneficiavam. Com a eleição online, premiamos a participação, a vontade de quem quer ser votado e daqueles que querem eleger seu representante. É mais transparente e seguro”, disse.

A campanha dos candidatos está liberada em todas as unidades escolares e pode ser feita pelas redes sociais até o fim do pleito. A promoção de debates entre os candidatos é estimulada tanto pela Secretaria de Educação como pela coordenação do Parlamento Juvenil da Alerj. O 2º turno acontecerá em 50 dos 92 municípios, já que os outros 42 tiveram seus representantes eleitos já no 1º turno.

A semana do Parlamento Juvenil na Alerj acontecerá apenas em novembro, mas o trabalho começa assim que terminam as inscrições. Os jovens eleitos vão participar de oficinas e cursos de capacitação presenciais e à distância, para entender o funcionamento do processo legislativo e, assim, propor um projeto de qualidade e relevância político-social.

 

TAGS: