Outra caminhada

Por Carlos Emerson Junior *
sexta-feira, 25 de novembro de 2011
por Jornal A Voz da Serra

Vamos falar de caminhadas outra vez? E que tal explorar um trajeto todo urbano e com dois atrativos especiais, a vista estonteante da cidade e belíssimas obras de arte, representando figuras importantes da história de Nova Friburgo? Pois é, estou falando da travessia Braunes-Parque Santa Elisa, pela parte alta dos dois bairros.

O ponto de partida é na Estácio de Sá, no Sans Souci. Dali subimos até a Rua Visconde Itaboraí e viramos à direita como quem vai para Vargem Alta, sempre seguindo as placas para a Praça da Criança. Pegamos a Rua Monerat e chegamos à Praça Alberto da Veiga Guignard, uma homenagem ao pintor mundialmente famoso, nascido no ano de 1896, em Nova Friburgo.

Estamos a 1.010 metros de altura e depois de toda essa subida vale a pena sentar-se num dos bancos e apreciar a colorida paleta de tintas, obra do artista plástico Felga de Moraes, do grupo Gama. O local é muito tranquilo, silencioso e lembra uma vila do interior.

Agora vem a parte divertida, para baixo! Prepare os joelhos e siga pela Rua Sílvio Carestiato com cuidado, já que a ladeira é muito íngreme. Aproveite para curtir as montanhas de Nova Friburgo ao fundo, de um ângulo diferente e, algumas delas, abaixo da nossa linha de visão. Sensacional.

No fim da rua chegamos à Praça da Criança, onde se destaca mais um monumento do Felga, dessa vez homenageando o médico friburguense Galdino do Valle Filho. Para quem não sabe, trata-se do idealizador do “Dia da Criança”, quando foi deputado federal na década de 20. Um mirante permite a visão de quase 180º e uma placa ensina os nomes de todas as montanhas em volta.

A caminhada segue morro abaixo pela Rua Boechat, também bastante íngreme, atravessando a mata que ainda é abundante naquele bairro. As ruas são todas asfaltadas e aqui vai uma dica: na primeira bifurcação, pegue a Rua Luterback, à esquerda, para evitar o grande transito de veículos na Rua Raul Sertã. Ande até a Rua Stutz, à direita, e comece uma longa e íngreme descida até a Praça Dom João VI, outra criação do Gama, às margens do antigo lago do Parque Santa Elisa.

Aqui o monumento do Felga, em forma de uma caravela, é dedicado ao homem que tornou possível a colonização de Nova Friburgo. A ideia era recuperar o lago para passar a impressão de um navio no mar mas, nas atuais circunstâncias, essa obra vai ficar para mais tarde. Uma outra pequena estátua ao bem ao lado é um tributo à Marinha do Brasil.

Infelizmente o lago está tomado pela vegetação e sofre com a turma sem noção que adora jogar lixo nas vias públicas. Uma pena mesmo. Mas o nosso trajeto não terminou. Vamos prosseguir até o Serraville, descer mais um pouco para a antiga Fábrica Ypu e daí caminhar em direção ao Centro, onde um suco bem gelado será muito bem-vindo para repor as energias.

Medidos no GPS, foram 5,2 quilômetros de extensão até a Praça Marcílio Dias, no Paissandu, com a altitude variando de 919 metros na saída lá da Estácio, 1.028 metros no Alto da Braunes, 1.000 metros da Praça das Crianças, 950 metros na Praça Dom João VI e chega, não é mesmo? O trajeto indicado é razoavelmente sinalizado, todo asfaltado ou com paralelepípedos e pouquíssimo trânsito de veículos, pelo menos até o Santa Elisa. Calçadas praticamente inexistem, só aparecendo na descida do Catarcione para o Centro.

É possível fazer todo esse roteiro de carro, até porque nas três praças existem estacionamentos, mas quer uma sugestão? Vá a pé! Além de ser uma caminhada saudável, você vai conhecer uma parte da cidade onde a natureza ainda é respeitada. Aproveite a oportunidade para descobrir pequenos detalhes das ruas e da vista, aqueles que só quem está andando sem pressa, disposto a respirar um ar muito puro e se deixar ser envolvido pela paisagem poderá perceber.

Garanto que você voltará para casa com a alma bem mais leve.

carlosemersonjr@gmail.com

TAGS: