Ondulações na RJ-130 pioram e desnível atinge profundidade recorde

DER-RJ afirma que convênio assinado com prefeitura vai beneficiar localidade
sexta-feira, 20 de dezembro de 2019
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
As ondulações na pista da RJ-130 (Fotos: Henrique Pinheiro)
As ondulações na pista da RJ-130 (Fotos: Henrique Pinheiro)

As ondulações no trecho da RJ-130 na altura da Rodoviária Norte, em Duas Pedras, atingiram um nível alarmante e o motorista que passar pela região deve dobrar a atenção. Já conhecidas, essas ondulações existem há muitos anos e preocupa quem costuma dirigir pelo local.

É um problema crônico que parece não chamar atenção das autoridades. O asfalto cedeu nas duas pistas e acabou estufando. Junto aos acostamentos e no meio da pista formaram-se calombos. O desnível é tão grande que acaba servindo como uma divisória de pistas.

A VOZ DA SERRA já “bate nesta tecla” há muito tempo. Quando voltamos ao local na manhã desta sexta-feira, 20, constatamos que a situação não só se agravou, mas chegou a níveis absurdos. Ao andar com o carro na citada região, a trepidação é intensa, incomoda é ruim tanto para a coluna quanto para o próprio carro. Não há amortecedor que resista.

Os motoristas que usam o trecho diariamente estão cansados de correr perigo. Muitos deles ou já sofreram ou já presenciaram algum tipo de acidente. Com a proximidade do verão o problema tende a se agravar. Isso porque o calor, aliado ao peso do carros ajuda a deformar o asfalto.

Enquanto esperava diante do sinal vermelho um motorista conversou rapidamente com nossa equipe. Ele afirmou que conduzir um veículo no determinado trecho é extremamente complicado. Segundo ele, mesmo passando em baixa velocidade, o fundo do carro bate no desnível e danifica, aos poucos, algumas peças.

O que diz o DER-RJ

Em nota, o Departamento de Estradas de Rodagem do Rio de Janeiro (DER-RJ), informou que assinou, recentemente, convênio de cooperação técnica com a prefeitura de Nova Friburgo para melhoria das rodovias e estradas que cortam os municípios. Com os convênios, serviços como execução de obras e de conservação, entre outros, ficam a cargo dos municípios. O DER fica com a responsabilidade de aprovação dos projetos apresentados e, consequentemente, com a fiscalização dos mesmos, além de prestação de assessoria técnica.

 

TAGS: Trânsito | obra