​Onde está a verdade?

segunda-feira, 19 de setembro de 2016
por Jornal A Voz da Serra

FOI, NO MÍNIMO, constrangedora, a declaração do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, feita na última quinta-feira, defendendo-se das acusações do Ministério Público Federal sobre sua participação — e de membros de sua família — em atos de corrupção no esquema da Operação Lava-Jato. Cercado por partidários e apoiadores, Lula mostrou mais uma vez seu repertório de orador, combinado com uma dose de emoção. Mas não convenceu.

CHEGANDO A chorar em três momentos, para dizer que está sendo vítima de uma mentira planejada para acabar com sua vida política, clamou com a voz embargada: “Provem uma corrupção minha e eu irei a pé para ser preso”, afirmou, num recado direto aos procuradores da Operação Lava-Jato que o acusaram de ser o comandante máximo do esquema de desvio de recursos da Petrobras e de ter organizado uma “propinocracia” no governo do país. 

SE OS PROCURADORES exageraram na apresentação midiática — que realmente deixou a impressão de estar fundamentada mais em suposições do que em provas —, Lula também apelou para argumentos que só fazem sentido para ele e para quem o idolatra incondicionalmente. Colocou-se como um herói nacional, um predestinado a mudar o destino do país, um perseguido pelas “elites” e por inimigos imaginários que só identifica por “eles”.

APENAS DISSE que fazem parte desse complô que o persegue parcela do Ministério Público e da mídia, que seriam os responsáveis pelas mentiras contra ele. Além dos imóveis (“que não tenho”), o acusam de ser o comandante do maior esquema de corrupção da Petrobras.

PARA COMPLETAR o espetáculo midiático que proporcionou, o ex-presidente comprou uma briga com o funcionalismo público, ao afirmar que os servidores púbicos concursados do Brasil são “analfabetos políticos”, numa atitude depreciativa contra os que tocam, de verdade, com responsabilidade a máquina pública.

O PAÍS, FELIZMENTE, conta com instituições responsáveis, que haverão de julgar adequadamente a acusação e a defesa, para dizer soberanamente quem está com a razão. Só depois que a denúncia do MP contra Lula e contra os demais acusados tiver sido apreciada pela Justiça em todas as instâncias é que os brasileiros saberão quem está dizendo a verdade. 

TAGS: