Obra de passarela metálica em Conselheiro gera desconfiança

Altura da estrutura e falta de espaço para escada ou rampa provocam especulações de como o projeto será finalizado.
sexta-feira, 20 de setembro de 2019
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
Pedestre olha para a estrutura alta (Fotos: Henrique Pinheiro)
Pedestre olha para a estrutura alta (Fotos: Henrique Pinheiro)

No último dia 11, as pontes metálicas para pedestres começaram a ser instaladas sobre o Rio Bengalas, ao longo da Avenida Governador Roberto Silveira, no distrito de Conselheiro Paulino. As intervenções são de responsabilidade do governo do Estado do Rio e estão a cargo do Inea, o Instituto Estadual do Ambiente. Ao todo, quatro pontes de concreto para pedestres foram substituídas por estruturas metálicas, consideradas mais seguras.

Mesmo com os trabalhos ainda não finalizados, muitas dúvidas cercam a obra e os moradores da região já fazem críticas ao projeto. Isso porque a estrutura metálica está suspensa a uma altura considerável do acostamento junto à margem do rio. Como a calçada não tem largura suficiente para comportar uma escada e uma rampa de acessibilidade para a ponte, há o questionamento de como será finalizado o projeto. Uma pedestre que passava pelo local no momento do nosso registro fotográfico da ponte falou que se trata de um erro grave.

 “Meu marido é pedreiro e eu posso jurar que ele jamais faria um trabalho como esse. Isso está errado. É mais uma obra gastando dinheiro do povo que depois deverá ser refeita, gastando ainda mais recursos públicos”, disse a mulher. Outro pedestre questionou os idealizadores do projeto e mostrou preocupação com a acessibilidade. “Quem foi o engenheiro que fez isso? Será que ele veio até o local? Será que ele sabe que as calçadas não são largas o bastante para comportar uma escada aqui? E os cadeirantes? Por conta do pouco espaço para se fazer uma rampa, qual será a inclinação que será feita? Com certeza uma pessoa sozinha não vai conseguir subir pela rampa, isso se de fato tiver rampa de acesso a ponte”, comentou o pedestre.

O que diz o Inea

De acordo com o engenheiro do Inea, José Luiz Teixeira, não haverá escadas no acesso às pontes, e sim rampas que seguirão as normas de acessibilidade. O engenheiro garantiu que a subida não ficará íngreme. 

 

TAGS: obra | Governo