O nome dela é Jhennifer Alves, a nossa menina dourada

Nadadora friburguense brilha com medalhas em turnê pela Europa antes do Pan de Lima
sexta-feira, 21 de junho de 2019
por Vinicius Gastin (esportes@avozdaserra.com.br)
Atleta de Nova Friburgo volta para o Brasil com nova experiência internacional na bagagem
Atleta de Nova Friburgo volta para o Brasil com nova experiência internacional na bagagem

Uma preparação de luxo para os principais objetivos da temporada. Jhennifer Alves está na Europa, onde participa de pelo menos cinco competições antes da disputa dos Jogos Pan Americanos de Lima, no Peru. E o saldo é positivo, indo além da experiência adquirida em piscinas europeias.

O principal resultado até aqui foi conquistado no primeiro dia do Aberto da França, em Chartres. Jhennifer Alves foi a única nadar na casa dos 30 segundos para vencer os 50 metros peito. Comparados com seus tempos no Mare Nostrum foi um pouco mais lenta, cravando 30 segundos e 84 centésimos, mas a marca foi suficiente para subir ao lugar mais alto do pódio.

Para efeito de comparação, a segunda colocada, Pamela Alencar, completou a prova em 32 segundos e 20 centésimos. Além de Jhenny, outros brasileiros brilharam na competição, a exemplo de Marcelo Chierighini nos 50 metros nado livre, Breno Correia nos 200 metros nado livre e Leonardo de Deus nos 200 costas. João Luiz Gomes foi prata.

“No final do ano ainda tenho o Mundial Militar. Quero também treinar um pouco fora do Brasil para acompanhar outros métodos de preparação, treinamento e competição. Comecei o ano com uma preparação nos EUA, e era algo que eu queria muito. Pois eles são os melhores. O convite surgiu numa conversa com um amigo, e treinei na Virgínia Tech por um mês. Consegui aperfeiçoar um pouco a minha técnica e fiquei muito feliz. Quero voltar para lá o mais rápido possível”, comenta a atleta, destacando os aprendizados fora do país.

Antes do primeiro lugar, Jhennifer conquistou outros resultados importantes no velho continente. No Mare Nostrum de Mônaco, por exemplo, a nadadora friburguense acumulou medalhas de prata nos 50 e 100 metros peito.

O primeiro bom resultado de Jhenny na França veio acompanhado pelos desempenhos destacados de Felipe Lima e Bruno Fratus. Somente neste torneio, os 50 metros são disputados em cinco fases eliminatórias: fase inicial com todos os nadadores, oitavas-de-final com os 16 melhores, quartas-de-final com os oito melhores, semifinais com os quatro, e a super final com somente dois.

Jhennifer ficou em segundo lugar nos 50 metros peito com 30.42. Novo recorde sul-americano superando a sua própria marca de 30.47 feitos no Troféu Brasil. O tempo coloca a nadadora como a quarta melhor do mundo em 2019.

Já Felipe Lima venceu os 50 metros peito com 26.31, novo recorde das Américas, supera os 26.42 de João Gomes Jr. A marca também é o melhor tempo do mundo em 2019 e novo recorde do Mare Nostrum. Com o tempo, melhor que Felipe Lima nos 50 peito, somente Adam Peaty, atual recordista mundial e único nadador da história a quebrar a barreira dos 26 segundos. Bruno Fratus venceu os 50 metros nado livre com 21.31. O tempo é a melhor marca do mundo em 2019.

A segunda etapa aconteceu em Canet, também na França, e a nadadora friburguense subiu novamente ao pódio. Ela voltou a ter boa saída, repetindo o que já havia alcançado em Mônaco, e ficou em segundo com 30.64, apenas quatro centésimos atrás de Efimova que venceu novamente as três provas de peito, repetindo o que havia feito dias antes.

Na sequência o grupo brasileiro viajou para Barcelona, na Espanha, onde aconteceu a terceira e última etapa do circuito, no fim de semana. A atleta de Nova Friburgo voltou a brilhar e conseguiu mais uma prata, com a marca de 30 segundos e 65 centésimos.

Com o novo recorde, Jhenny tem agora o quarto melhor tempo na prova 50 metros peito. O tour da friburguense pela Europa termina neste fim de semana, com o Cetticolli, realizado na Itália.

O ano de Jhennifer começou com medalhas de ouro e quebra do recorde sul-americano no Troféu Brasil. Foram três ouros, sendo um nos 100 metros peito, outro nos 50 e mais um no revezamento 4x100 medley, quebrando assim o recorde que já pertencia a ela.

TAGS: natacao