“O Hospital Raul Sertã é nossa prioridade máxima”, diz nova secretária de Saúde

Assistente social, Emmanuele Marques assume pasta em meio a crise prometendo “humanizar os processos”
quinta-feira, 13 de junho de 2019
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)

Um dia após a exoneração da advogada Tânia Trilha, motivada pelo vazamento de um áudio que escandalizou a cidade e repercutiu por todo o país, a Prefeitura de Nova Friburgo já tem uma substituta para comandar a Secretaria Municipal de Saúde: a assistente social Emmanuele Marques. Ela é a quarta titular da pasta, em 30 meses do governo Renato Bravo.

Emmanuele estava à frente da Secretaria de Assistência Social há exatamente um ano. Além de ser formada em assistência social, Emmanuele tem no currículo certificação de auditora em processos de saúde. Na Saúde, prometeu atuar "com foco na humanização dos processos do SUS e centralidade no paciente", segundo a prefeitura.

De acordo com nota da prefeitura, na Assistência Social Emmanuele "contribuiu para o fomento de projetos de estímulo à profissionalização através da Acessuas Trabalho, firmando grandes parcerias, reativando o programa de erradicação do trabalho infantil em Nova Friburgo e elevando o município ao título de Gigante da Assistência 2019 e primeiro lugar no estado em Gestão Estratégica e cofinanciamento do Sistema Único de Assistência Social (SUAS)".

Na gestão de Emmanuele, a Prefeitura de Nova Friburgo aderiu ao Programa Brasil Amigo da Pessoa Idosa, firmou parcerias com a sociedade civil para melhorias no atendimento à criança e ao adolescente em casas de acolhimento e ampliou a equipe de abordagem especializada em população de rua.

Yanes José Martinez deixa a gerência de processos administrativos da Assistência Social para assumir a subsecretaria de Saúde. Já para a Assistência Social foi nomeada a servidora de carreira Cláudia Mara Barbosa.

Em entrevista exclusiva ao jornal A VOZ DA SERRA, Emmanuele disse que está ciente dos desafios e que sua prioridade é “humanizar os processos” da saúde pública.

AVS: A senhora se sente preparada para assumir o cargo, em caráter emergencial?

Emmanuele Marques: É um desafio muito grande assumir a pasta. Nós não temos medo de trabalho. Se é para somar ao governo, melhorar a saúde, nós vamos fazer. Eu sou assistente social por formação, mas também tenho formação em auditoria de saúde. Quando você me pergunta se estou preparada, eu digo que ninguém se prepara para um cargo desses, mas quando existe  vontade de fazer a diferença, o preparo vem naturalmente.

A senhora já tem uma meta emergencial para melhorar a saúde friburguense?

Os processos da saúde estão bem encaminhados e nós vamos dar continuidade aos processos que são para a população. A minha prioridade no momento é conhecer a equipe, me colocar a par da situação da saúde e da secretaria e humanizar o acolhimento da saúde. Uma vez humanizados, os processos vão atender a expectativa da população. Não adianta ser bom técnico e não humanizar o processo. Com isso nós vamos conseguir dar conta de uma demanda que hoje é super emergencial.

Hoje o friburguense está descrente quanto a saúde pública. Que mensagem a senhora passa ao povo para tranquilizá-lo?

Eu não sou médica. Embora as pessoas estejam me questionando sobre isso, quando você assume uma pasta como a Saúde e está por trás dos processos administrativos, você salva vidas indiretamente. Nós vamos salvar vidas, sim. Nós vamos cuidar das pessoas, sim. Temos uma excelente equipe médica que está lá na ponta fazendo o atendimento. Por não ser médica, não me sinto menos capaz do que qualquer outra pessoa. Eu tenho capacitação técnica, não estou aqui para salvar vidas de forma direta na linha de frente, isso é com os médicos, mas tudo o que for necessário para salvá-las eu vou fazer.

O Hospital Raul Sertã é uma prioridade?

É uma prioridade máxima para o município porque é lá que as pessoas chegam, fragilizadas, e de lá que elas tem que sair bem. Quanto mais bem cuidadas, menos elas irão precisar da nossa rede de atenção básica.

O que espera encontrar na sua primeira visita, como secretária, à unidade?

Os problemas são muitos. A população conhece até melhor que eu esses problemas. Eu vou me apresentar à equipe do hospital, filtrar as prioridades, embora a gente saiba que a prioridade maior é sempre a vida. O que eu puder fazer para agilizar os processos pendentes eu vou fazer.

 

TAGS: saúde | Governo