“Nunca quis ser os outros”, livro de Carim, tem lançamento nesta sexta

Médico oferece noite de autógrafos no salão do parque aquático do Country Clube
quinta-feira, 14 de junho de 2018
por Ana Borges (ana.borges@avozdaserra.com.br)
Carim e seu livro (Foto: Henrique Pinheiro)
Carim e seu livro (Foto: Henrique Pinheiro)

A Associação Médica de Nova Friburgo promove nesta sexta-feira, 15, a partir das 19h30, noite de autógrafos e lançamento do livro “Nunca quis ser os outros - histórias e memórias de um médico de alma inquieta e mente aberta”, editora Vozes, do médico-cirurgião e professor José Antônio Verbicário Carim, no salão do parque aquático do Country Clube.

Há mais de 20 anos, em 1997, o dr. Carim inaugurou o seu hospital - o Day Hospital Nossa Senhora do Líbano, assim batizado em homenagem ao pai, Abdo Carim, filho de libaneses. Por 18 anos, o médico dividiu seus afazeres e compromissos entre cirurgias, administração hospitalar, participação em congressos - nacionais e internacionais - ensino, aprendizado, e ainda  conseguia encontrar tempo para a família, formada pela esposa Rejane, os filhos (José Antônio Júnior, Daniela, Paloma e Filipe), netos, e o pai, agora em idade centenária, carinhosamente chamado de “seu Abdinho”.

Em 1999, o dr. Carim deu início à cirurgia da obesidade e promoveu o primeiro curso brasileiro de videolaparoscopia, no Day Hospital, onde passou a promover reuniões científicas, jornadas, cursos, além das cirurgias bariátricas. “Foi em São Paulo que ouvi falar pela primeira vez da cirurgia videolaparoscópica. Após a introdução desse método na França, em outubro de 1987, fui para a Alemanha em 1990 para conhecer e me preparar para esse novo desafio”, revelou.     

De volta ao Brasil, promoveu o primeiro curso sobre o método e, de forma pioneira, implantou o tratamento de obesidade no Day Hospital, através da cirurgia por videolaparascopia. A repercussão do procedimento em Friburgo atravessou fronteiras, sendo adotado em vários estados brasileiros, além de outros países. A procura pela nova tecnologia se expandiu de forma significativa.

Desde sua implantação no Day Hospital, Carim contribuiu de maneira direta para a formação de mais de 2.500 alunos, em cursos ao longo de 25 anos. Professores, médicos e instrumentadores de toda a América do Sul, incluindo profissionais de Angola, recorreram aos seus conhecimentos e ensinamentos.

Fazer as coisas direito, fazer as coisas certas

 “A vida é pergunta, muitas vezes sem resposta. Anos antes, questionado sobre meu futuro profissional, não titubeei em apontar Medicina. Anos depois, já nas aulas de anatomia, das primeiras que recebi no curso de Medicina da UFF, através do muito conceituado professor Rocha Lagoa, também dúvidas não me restaram ao optar por cirurgia, quando indagado sobre a especialidade a seguir. Entre os 40 alunos, 27 apontaram a mesma preferência. Mas, ao fim do curso, não haveria nem cinco na especialidade. De fato, entre querer e conseguir o pretendido, é a cirurgia o maior dos desafios. Modestamente, e sem pensar muito sobre isso, sempre vivi alheio às dificuldades”, conta.  

Este trecho do livro dá uma pequena mas esclarecedora mostra de como o dr. Carim aborda a sua história, desde as origens de seus ancestrais (com direito à árvore genealógica), seu nascimento em Visconde de Imbé, distrito de Trajano de Moraes, sua infância, juventude, casamento, carreira, filhos, sonhos, realizações, dores, reveses, conquistas. A obra, com 200 páginas, traz fotos e registros de tudo isso, de uma trajetória que ele resolveu compartilhar, e cujo resultado o deixou feliz e emocionado. “Das memórias que o coração há de guardar”.  

 

TAGS: