Nova direção da Liga de Desportos aprova primeiro ano de gestão

Sucesso do Campeonato Feminino foi um dos grandes destaques da temporada
quinta-feira, 09 de janeiro de 2020
por Vinicius Gastin
Geraldo em seu primeiro ano à frente da Liga: boa relação com clubes e novos objetivos para 2020
Geraldo em seu primeiro ano à frente da Liga: boa relação com clubes e novos objetivos para 2020

Quando foi fundada, há relativamente pouco tempo, a Liga Nova Friburgo de Desportos tinha o propósito principal de voltar a movimentar o futebol de base do município. Outras modalidades também estavam – e continuam - na mira da entidade, mas já é possível afirmar que o primeiro objetivo está cumprido. Assim como nos últimos anos, 2019 foi recheado por competições em diversas categorias, reunindo clubes variados, e levando um pouco da alegria e do futebol de crianças e jovens a vários cantos de Nova Friburgo.

A temporada também marcou o primeiro ano de gestão de José Geraldo Heringer à frente da Liga. Reconhecido pela atuação no comando do Vargem Alta Futebol Clube durante o último ano, assumiu o desafio de dar continuidade ao trabalho de Luciano Faria, e ainda cumprir objetivos engatilhados pelo primeiro mandato da história da nova entidade.

“O balanço do ano é bem positivo, apesar de alguns problemas que tivemos. Mas se considerarmos o total foi um ano bom para a Liga. As partidas dos campeonatos mostraram um nível legal, com boas equipes, e conseguimos finalizar todos eles. Claro que a gente esperava algo mais, e para 2020 a ideia é ter novidades em relação a eventos”, destaca Geraldo.

Alguns dos destaques deste ano foram os campeonatos municipal de futebol amador masculino, em categorias desde o Sub-11 ao Sub-20. Já tradicional no calendário esportivo de Nova Friburgo, a Supercopa SAF de Futebol Amador também teve, por mais um ano, a chancela da Liga Nova Friburgo de Desportos. 

O grande destaque do ano, entretanto, foi a realização da primeira edição do Campeonato Municipal Feminino SAF, desejo antigo da entidade. A competição com a participação de seis equipes da cidade e da região: Banquete, Águia de Ouro (Duas Barras) e TPM de Mariana (Sumidouro), Nova Friburgo Futebol Clube, Riograndina e Panteras (Macaé de Cima). 

As partidas da primeira fase foram realizadas no Centro de Treinamento do Nova Friburgo Futebol Clube, em Conselheiro Paulino, enquanto a grande final, vencida pelo Riograndina, aconteceu no estádio Márcio Branco, em Stucky. A chancela da Liga e de demais parceiros pode significar um primeiro passo para a continuidade, transformando os esforços isolados de abnegados em uma possível inclusão no calendário fixo de atividades.

“Pretendemos manter a competição feminina em nosso calendário, até porque essa primeira edição foi um sucesso. Já no final do ano iremos reunir a direção da Liga para deixar o calendário de 2020 pronto”, avisa. 

Relação com a Ferj

A filiação da Liga junto a Federação de Futebol do Rio de Janeiro abre um leque de possibilidades de benefícios para o desporto municipal. Essa relação entre as duas entidades, no entanto, ainda precisa ser melhor explorada. De acordo com Geraldo, poucas foram as contribuições durante o ano de 2019 e a ideia é buscar mais apoio para os eventos dos próximos anos.

“A princípio não houve muita colaboração da Federação com a nossa Liga. Vamos conversar mais, tentar sensibilizar o dr. Plínio (um dos responsáveis pelo setor de Ligas) e tentar alguns benefícios para Nova Friburgo, pelo menos em termos de bolas e premiações. Em 2019, não veio nada”, observa Geraldo. 

Dentro desse contexto, a Liga Nova Friburgo de Desportos convive com a mesma dificuldade de quase todos os atletas, projetos e instituições esportivas da cidade: a escassez de recursos. Os campeonatos geralmente contam com apoio da iniciativa privada, e os próprios clubes costumam arcar com boa parte das despesas. A Liga, inclusive, planeja ampliar o número de filiados (que não pagam nenhuma por conta da filiação) em 2020, fortalecendo assim a própria entidade e os campeonatos a serem realizados.

“O que falta realmente é mais recursos. Temos apenas o apoio da iniciativa privada e dos próprios clubes, que vêm arcando com as despesas de arbitragem e inscrições de atletas. Nós não temos muitas equipes filiadas, mas estamos partindo para intensificar o processo de adquirir novos clubes que estão interessados em se filiar à Liga”, disse. 

A Liga

Depois de quase uma década afastada dos torneios amadores promovidos pela Ferj, Nova Friburgo voltou a participar das competições nos últimos anos, desde a finalização do processo de formalização e reconhecimento de uma nova entidade pela federação, a Liga Nova Friburgo de Desportos.

“O nosso trabalho é incentivar o esporte, mas especialmente o futebol de base no município. Nós temos um calendário, os jogos são bem disputados, as famílias comparecem para apoiar os filhos e temos bons públicos”, destaca o presidente.

Ao filiar-se à Ferj, a Liga também pode federar os atletas, fazendo com que os clubes formadores recebam um percentual de possíveis transferências de jogadores para outros clubes. O repasse é feito pela Federação do Rio em caso de negociação com clubes do Estado, pela CBF em caso de transferência para clubes de fora do Estado e pela Fifa nos casos de negociações internacionais.

Em 2016 foi aprovada pela Câmara de Vereadores a lei que torna a Liga Nova Friburgo de Desportos uma instituição de utilidade pública municipal. Desta forma, a entidade passou a ser incluída na Lei Municipal de Subvenções, tendo assim, em tese, direito a receber um determinado valor para o custeio de suas despesas.

TAGS: