Neste sábado, será lançado em Nova Friburgo o livro ‘A Maldade Humana – como detonar alguém no Facebook’

terça-feira, 02 de setembro de 2014
por Jornal A Voz da Serra
Neste sábado, será lançado em Nova Friburgo o livro  ‘A Maldade Humana – como detonar alguém no Facebook’
Neste sábado, será lançado em Nova Friburgo o livro ‘A Maldade Humana – como detonar alguém no Facebook’

Até onde a maldade de alguém pode, através de postagens nas redes sociais, levar o outro à morte? Esse é o mote do livro "A maldade humana – como detonar uma pessoa no Facebook”, escrito pelas psicanalistas Beatriz Breves e Virgínia Sampaio que estarão neste sábado, 6, em Nova Friburgo para lançar a obra. A tarde de autógrafos será a partir das 16h na Livraria Papelote, seguida de bate-papo com as autoras, que estão em evidência na mídia por conta do livro. Ao se debruçar sobre questões extremamente novas no mundo contemporâneo, a publicação propõe muitas reflexões: como reagir a trolls e a haters, qual a diferença entre um e outro, a redução da sensibilidade, a violência dos novos games, a falta de uma legislação específica para balizar o uso das redes e por aí vai...

Beatriz Breves, mestre em Psicologia, psicanalista, bacharel e licenciada em Física, fundadora e presidente da Sociedade da Ciência do Sentir, foi vítima da técnica da trollagem e de ataque de haters no Facebook. Em parceria com a também psicanalista Virgínia Sampaio, resolveu registrar a experiência num livro que adquire importância fundamental ao alertar a sociedade e o poder público para o risco de suicídio induzido por terceiros. E, ainda, para o que se configura no código penal como crime de injúria, calúnia e difamação. No entanto, o enfoque do livro não é a questão jurídica e sim, a dignidade humana. Até onde a maldade de um ser humano pode acabar com a reputação de outro podendo até levá-lo a cometer suicídio?

As autoras lançam o apelo de que é preciso mudar e traçam um roteiro para as vítimas e todos aqueles que querem agir contra esse tipo de agressão — que pode ser fatal. "Aprecio a internet e as redes sociais. Entendo-as como importantes veículos de integração e comunicação. A problemática não está nas redes em si, mas na falta de uma legislação específica, de um órgão que, de forma ágil, devido à velocidade com que as coisas se propagam, seja capaz de intervir e, principalmente, no uso que as pessoas podem fazer delas quando objetivam um investimento pessoal na sua própria maldade e na maldade do outro”, avalia Beatriz.

A tarde de autógrafos de livro "A maldade humana – como detonar uma pessoa no Facebook”, uma publicação da editora Mauad X, é aberta a quem quiser participar. O evento, das 16h às 18h, terá lugar na livraria Arabesco (Avenida Alberto Braune 87, Centro). 

 

O que são haters e trollers

As autoras do livro destacam que a internet tem sido território livre para a prática do chamado cyberbulling. Indivíduos que se assumem como haters e trollers, ou seja, que inventam histórias pérfidas para praticar o cyberbulling, cometem diversos delitos e saem ilesos. Em pesquisa sobre os trolls, as autoras encontraram que na "gíria da internet, designa uma pessoa cujo comportamento tende sistematicamente a desestabilizar uma discussão, provocar e enfurecer as pessoas envolvidas”. Já os haters, também de acordo com pesquisas, são pessoas que essencialmente odeiam, ou seja, são os odiadores de tudo e de todos. E eles estão na moda. Estão nas redes sociais para contrariar, causar intriga e serem opostos a qualquer coisa que esteja em discussão.

TAGS: