Natal nas colônias de Nova Friburgo: Japão

Um dia como outro qualquer, para celebrar o amor e a amizade
sábado, 22 de dezembro de 2018
por Jornal A Voz da Serra
Natal nas colônias de Nova Friburgo: Japão

Com menos de 2% da população cristã e a maioria budista ou xintoísta, o Natal com o significado ocidental não faz o menor sentido para os japoneses. Nem mesmo é feriado. Apesar disso, vários pontos do país entram no clima e criam pomposos enfeites natalinos.

O Natal nipônico, o Kurisumasu (クリスマス), é uma efeméride importada com valor comercial, assim como o Halloween (Dia das Bruxas) e o Valentine’s Day (Dia dos Namorados), embora sua popularidade aumente a cada ano.

Nos anos 1980, começou a moda de se comemorar o 24 de dezembro a dois, de preferência em um lugar romântico, com troca de presentes, numa espécie de Dia dos Namorados (no Valentine’s Day, em 14 fevereiro, os casais trocam apenas chocolates). Não é raro amigos saírem juntos e comemorarem num karaokê.

Influenciadas por filmes, canções e a cultura do Ocidente, as famílias também começaram a fazer uma festinha bem informal em que os participantes trocam presentes entre si e se deliciam com um jantar diferenciado, servido apenas no dia 25. Na mesa, em vez do peru, serve-se o kara-age (frango desossado e frito, à moda do Kentucky). No lugar do panetone, o kurisumasu keeki (bolo branco de pão-de-ló coberto com morangos e chantilly).

Aproveitando a publicidade vinda do Ocidente e o fato de os trabalhadores receberem seus bônus de fim de ano, os lojistas também transformam as cidades japonesas em um verdadeiro espetáculo de luzes e magia. O Papai Noel deles, no entanto, é Jizo, a mais querida divindade do budismo no Japão e tido como o guardião das almas das crianças que morrem antes de seus pais.

O Oseibo representa um hábito típico da cultura japonesa de dar presentes no fim de ano, no período Edo. Os presentes são enviados entre os dias 20 a 28 de dezembro, em sinal de gratidão, a colaboradores, nada tendo a ver com Natal.

Presidente da colônia: Motomu Watanabe

 

TAGS: Natal | Colonias