Moradores da Fazenda da Laje apreendem ônibus em protesto

Comunidade reclama de mudanças nos horários da linha e da estrada cheia de buracos
sexta-feira, 23 de março de 2018
por Alerrandre Barros (alerrandre@avozdaserra.com.br)
O ônibus apreendido pelos manifestantes (Fotos de leitores)
O ônibus apreendido pelos manifestantes (Fotos de leitores)

 

 

Moradores da Fazenda da Laje, no distrito de Conselheiro Paulino, apreenderam um ônibus, na manhã desta quinta-feira, 22, em protesto contra a mudança de horários na linha urbana que liga o bairro ao centro da cidade e a precariedade da estrada que, por causa dos muitos buracos, impede que os coletivos cheguem ao ponto final.

A manifestação começou por volta das 6h, quando o ônibus parou no ponto próximo à venda do Josué, dois pontos após o Cemitério Trilha do Céu. Cerca de 20 pessoas, entre crianças, jovens e até idosos, impediram a saída do coletivo. Eles exigiam a presença de um representante da empresa Faol e também da Prefeitura de Nova Friburgo.

“Mudaram os horários do ônibus sem consultar os moradores. O primeiro horário agora é às 6h. Quem depende do transporte antes desse horário agora precisa descer a pé até o centro de Conselheiro Paulino para embarcar no coletivo. Temos que andar cerca de quatro quilômetros ou mais. Imagina fazer isso sob chuva? Temos idosos, grávidas, crianças, pessoas doentes no bairro”, disse a costureira Dilce Oliveira.

“Há moradores que trabalham em Campo do Coelho, Olaria, Cascatinha. Eles precisam do ônibus antes das 6h. Os estudantes, que antes embarcavam às 6h30, estão chegando às escolas muito cedo. Ficam dispersos na rua enquanto aguardam a abertura dos portões”, acrescentou a mulher que mora na Fazenda da Laje há nove anos e vem mobilizando a comunidade.

Dilce também afirmou que há tempos moradores vêm reclamando com a Subprefeitura de Conselheiro Paulino sobre os buracos na estrada, que fez a Faol impedir, desde o mês passado, que o ônibus faça todo o percurso. O estado da via piorou após as chuvas das últimas semanas. Segundo a costureira, a retirada dos horários de saída do bairro às 5h30, 11h15, 14h30 e 23h, esta semana, foi a gota d’água, por isso, decidiram realizar o ato.

A buraqueira na estrada de acesso à Fazenda da Laje é antiga. Em janeiro do ano passado, A VOZ DA SERRA percorreu os poucos mais de oito quilômetros da estrada e mostrou que o asfalto da via está em péssimo estado de conservação, repleto de buracos, principalmente, no centro da Fazenda da Laje, onde mora maior número de pessoas.

A via começa na esquina com a Rua Manoel Elias Perroud, no Alto do Floresta, em frente ao conjunto habitacional Vista Bela, e, na ocasião tinha buracos até o final do trecho asfaltado, que soma pouco mais de cinco quilômetros e termina próximo ao espaço RPR Eventos. A seguir começa o trecho sem pavimentação, que tinha, à época, melhor estado do que o trecho pavimentado.

Policiais do 11ºBPM, em duas viaturas, acompanharam a manifestação dos moradores. Segundo o comandante do batalhão, coronel Eduardo Vaz Castelano, o ato foi pacífico. Não houve depredação do ônibus. Por volta das 10h30, o grupo se dispersou, após proposta da Subprefeitura de Conselheiro Paulino de cobrir os buracos da via, provisoriamente, com pedras e bica corrida (mistura com pó de pedra) enquanto as chuvas persistirem e não houver possibilidade de realizar obras no asfalto.

“Essa iniciativa vai permitir retomar o tráfego de veículo, inclusive ônibus, no local. Tão logo a chuva cesse e a licitação de massa asfáltica esteja concluída, em abril, a Secretaria Municipal de Obras irá retomar a operação tapa-buracos na Fazenda da Laje”, informou o governo em nota.

Sobre as alterações de horários de ônibus, moradores disseram que a Faol iria agendar uma reunião com eles nesta quinta-feira, 22. A concessionária, porém, não confirmou a informação. Em nota, a Secretaria Municipal de Ordem e Mobilidade Urbana (Smomu) informou que não foi notificada pela empresa da mudança nos horários da linha Centro-Fazenda da Laje, assim como a Subsecretaria municipal de Serviços Concedidos, que disse ter advertido a concessionária.

 

TAGS: faol | Onibus | Protesto