Meteorologia prevê tempestades diárias à tarde e à noite até o Natal

Ar quente e úmido aumenta chances de formação de áreas de instabilidade. Verão deve ser mais chuvoso que o normal
sexta-feira, 20 de dezembro de 2019
por Adriana Oliveira e Fernando Moreira (redacao@avozdaserra.com.br)
Carro cai em buraco no Jardim Calfórnia durante o temporal desta quinta (Fotos de leitores)
Carro cai em buraco no Jardim Calfórnia durante o temporal desta quinta (Fotos de leitores)

Serviços especializados em meteorologia, que se baseiam em satélites até da Nasa, preveem muitas tempestades até o Natal, sobretudo na Região Sudeste. Tecnicamente, há chances nesta sexta-feira, 20,  para a formação de um cavado em superfície, possivelmente de origem subtropical, entre o Sul e Sudeste, e que deverá causar áreas de instabilidades fortes associadas à Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), provocando grandes volumes de chuvas. As tempestades deverão ocorrer sempre no período da tarde e noite.

Também para o Instituto Climatempo, a Região Sudeste deve ficar em atenção durante o Natal por causa de chuva forte. A região  tem grande disponibilidade de ar quente e úmido, o que aumentam as chances de formação de áreas de instabilidade.

Nesta sexta, 20, praticamente todas as áreas da Região Sudeste do Brasil estão sujeitas a pancadas de chuva com raios, especialmente à tarde à noite.

O verão começa oficialmente neste domingo, 22, à 1h19min, indo até 0h50m de 20 de março. Segundo o Climatempo, será um verão sem El Niño e também sem La Niña, fenômenos oceânicos-atmosféricos que ocorrem na porção central e leste do oceano Pacífico Equatorial, e que, quando se manifestam, interferem na chuva e na temperatura do Brasil e de outros países da América do Sul.

A temperatura da água do Oceano Atlântico, especialmente do Atlântico Sul, que banha toda a costa leste do Brasil, do Uruguai e da Argentina, terá maior peso no comportamento da chuva e da temperatura sobre o Brasil neste verão. A meteorologista Patricia Madeira, da equipe de previsão climática do Climatempo, explica que houve grande resfriamento na maior parte do Atlântico Sul entre a costa de Santa Catarina e do estado do Rio. Nesta situação, as frentes frias se tornam mais lentas e com maior potencial de chuva no continente. No verão, essa é uma situação bastante favorável para a formação de ZCAS.

Outro detalhe importante é o que o ponto de parada das frentes frias está no Rio de Janeiro (descontinuidade dea temperatura superficial da água do mar, ou TSM), o que facilita a ocorrência de chuvas no Sudeste.

Para janeiro, no Sudeste, o Climatempo prevê muitas áreas de instabilidade e  formações de ZCAS, o que provocará muita chuva e temperatura abaixo do normal, sem muito calor. A situação se repete em fevereiro. Já em março  o tempo fica mais seco que o normal no Estado do Rio, com temperatura também mais amena.

Temporal causou estragos em Friburgo, mas não fez nenhuma vítima

A Defesa Civil de Nova Friburgo divulgou na manhã desta sexta-feira, 20, um boletim atualizado sobre a chuva intensa que caiu sobre a cidade nesta quinta-feira, 19. O período apurado foi entre as 9h de quinta e 9h desta sexta, com precipitação média de 50,41mm de chuva. A precipitação máxima foi registrada na localidade de Cardinot, com 101,43mm - número que representa quase metade do esperado para o mês de dezembro na cidade, que é de 221mm, segundo o Climatempo. A precipitação mínima foi registrada no distrito de Lumiar, com apenas 6,91mm de chuva. A cidade permanece em estágio de atenção.

Ainda de acordo com o boletim da Defesa Civil, devido às chuvas volumosas foram registradas diversas ocorrências, sendo a mais grave a queda do muro de uma residência na Rua Euclides da Cunha, no bairro Braunes. Ninguém ficou ferido, mas a queda do muro acabou atingindo um veículo que estava estacionado, interrompendo também o tráfego na via.

A Defesa Civil registrou ainda pequenos deslizamentos na Rua Nossa Senhora do Amparo; na RJ-148, próximo a entrada do bairro Floresta; na RJ-130, próximo ao apiário; na Rua Teófilo Marra, no bairro Cordoeira; a interdição de um imóvel no Bairro Suíço; além de diversos alagamentos registrados no Centro e em alguns bairros da cidade.

Não houve vítimas em nenhuma das ocorrências registradas. Também não há desalojados ou desabrigados. De acordo com o Instituto Estadual do Ambiente (Inea), a previsão é de tempo instável nesta sexta-feira em todo o Estado do Rio de Janeiro. O céu deve variar entre nublado e encoberto, com previsão de chuva fraca podendo chegar a moderada.

 

TAGS: Clima