Marlon Moraes atropela brasileiro e se mantém invicto no WSOF

segunda-feira, 02 de janeiro de 2017
por Vinicius Gastin
A vibração por mais uma vitória: série invicta é ampliada pelo friburguense
A vibração por mais uma vitória: série invicta é ampliada pelo friburguense

Naquela que pode ter sido a sua despedida do WSOF, Marlon Moraes não deixou dúvidas de que não talvez não existam mais adversários para desafiá-lo na organização. O compatriota Josenaldo Silva foi o último a tentar quebrar sua invencibilidade na noite do último sábado, 31, mas o friburguense terminou 2016 e iniciou o novo ano com o reinado garantido na categoria pesos-galos (61 kg). 

A luta de Marlon foi uma das atrações de uma edição especial do WSOF, que promoveu quatro disputas de título no show de número 34 em Nova York (EUA). E curiosamente, todos os atuais campeões fizeram o seu trabalho, venceram suas lutas e defenderam seus cinturões. Incluindo Marlon Moraes.

Atual dono do cinturão, Marlon mostrou, desde o início do duelo, que está bem distante em termos físicos e técnicos em relação ao adversário. Com golpes bem direcionados, levou Silva para o chão e desferiu vários socos, além de uma tentativa de finalização. Um gancho seguido de um soco de esquerda derrubaram Silva. O campeão desferia combinações a todo o momento, que resultaram em uma sequência de golpes no ground and pound. Por muito pouco não houve vitória por nocaute técnico. Por conta da violência e precisão dos golpes, o oponente de Marlon teve dificuldades para se esquivar. De volta a luta em pé, Naldo Silva lesionou o joelho após se desequilibrar em chute de encontro aplicado por Moraes, tudo isso ainda no primeiro round. O juiz, então, considerou o nocaute e decretou o triunfo do lutador de Nova Friburgo. 

Esta foi a 13ª vitória consecutiva de Marlon, campeão desde março de 2014, quando derrotou Josh Rettinghouse pelo título vago. Desde 2011 não sabe o que é perder uma luta. No cartel, são 18 triunfos, quatro reveses e um empate. Este foi o último compromisso do atual contrato do campeão com o WSOF. E pode ter sido, de fato, o último pela organização. Uma transferência pra o UFC, a principal organização de lutas do planeta, parece questão de tempo. E pode acontecer a qualquer momento.

“Acho que um dia vai ser inevitável. Independentemente de contrato, eu sou um lutador. Luto para mostrar minhas qualidades. Não me aposentaria sem ter o gostinho de lutar no UFC. Mas tenho que continuar trilhando meu caminho, quero ser o melhor e vou continuar trabalhando para isso. Se não for 2017, vamos em 2018. Se não for 18, vamos em 19. Não vou desistir, vou trabalhar. Estou novo, não tenho muita pressa. Mas quero ser o melhor”, disse em entrevista recente ao portal Combate.com, antes da luta do último sábado.

Na luta principal da noite, o brasileiro Luiz Firmino enfrentou Justin Gaethje pelo título dos pesos-leves (70 kg) e também acabou superado por questões médicas: no quarto round do combate, o árbitro decidiu interromper a luta depois de constatar um machucado no olho do paraibano.

As outras duas defesas de cinturão da noite ficaram por conta de Jon Fitch e David Branch. Enquanto o ex-UFC derrotou o também ex-atleta do Ultimate Jake Shields por decisão unânime dos juízes para manter o título dos meio-médios (77 kg), David Branch finalizou Louis Taylor com um mata-leão no quinto round para seguir campeão dos meio-pesados (93 kg) do torneio.

Os resultados do WSOF 34

- Justin Gaethje derrotou Luiz Firmino por nocaute técnico (interrupção médica)
- Jon Fitch derrotou Jake Shields por decisão unânime dos juízes
- Yushin Okami derrotou Paul Bradley por decisão dividida dos juízes
- Marlon Moraes derrotou Josenaldo Silva por nocaute técnico (lesão no joelho)
- David Branch finalizou Louis Taylor
- Shane Krutchen derrotou Jeremy Mahon por decisão unânime dos juízes
- Smealinho Rama nocauteou Jake Heun
- Bruno Santos derrotou Vagab Vagabov por decisão dividida dos juízes
- Andre Harrison finalizou Bruce Boyington
- Tom Marcellino finalizou Matt Dennin

Foto da galeria
Anderson França, treinador de muay thai, e Moraes
TAGS: artes marciais | MMA