Luto: Friburgo perde Heródoto às vésperas do bicentenário

Ex-prefeito por 4 mandatos morre em Londrina, onde será cremado, aos 92 anos de idade
segunda-feira, 30 de abril de 2018
por Adriana Oliveira (aoliveira@avozdaserra.com.br)
O ex-prefeito Heródoto Bento de Mello
O ex-prefeito Heródoto Bento de Mello

Faleceu na madrugada deste domingo, 29, em Londrina, no Paraná, às vésperas do bicentenário da cidade que tanto amava, o ex-prefeito de Nova Friburgo Heródoto Bento de Mello. Heródoto, que completaria 93 anos em 15 de setembro deste ano, faleceu em casa, na companhia da filha, Inês, com quem vinha morando ultimamente. Seu corpo será cremado na cidade paranaense.

O prefeito Renato Bravo decretou luto oficial na cidade por três dias. "O município perde um grande líder e seu legado servirá sempre como exemplo e referência para os novos tempos", afirmou Renato, através de nota.

Carioca, filho de Avelino Bento de Mello e de Maria de Mello, Heródoto foi casado por sete décadas com Betty Rodrigues (foto), falecida há apenas sete meses. Com ela teve seis filhos: Heródoto, Ricardo, Marcos, Inês Maria, Cláudio e Mônica. Era engenheiro civil, formado pela Escola Nacional de Engenharia da antiga Universidade do Brasil, atual UFRJ, e foi prefeito de Nova Friburgo por quatro mandatos, o último deles de 2009 a 2012.

Fez toda a sua carreira política em Friburgo, elegendo-se vereador e deputado estadual. Trabalhou como engenheiro da prefeitura na gestão de Cesar Guinle e chefiou o Departamento de Estradas e Rodagem do estado, o DER.

Visionário, em 1966 decidiu desbravar a estrada Serramar, que viria a ser asfaltada muitos anos depois. Como prefeito, mudou o trânsito da cidade, tornando a Avenida Alberto Braune via de mão única, criou a Rodoviária Urbana da Praça Getúlio Vargas, colocando pontos de ônibus com estilo suíço e mobiliário urbano, com bancos, existentes até hoje. Também teve muito destaque na integração de Friburgo com os colonizadores suíços. Por trás de empreendimentos âncoras do turismo como a Queijaria Escola e a Festa da Flor, estava Heródoto.

Em entrevista ao jornal A VOZ DA SERRA em junho de 2016, de Londrina (foto), Heródoto ainda se mantinha ativo e bem informado  para um homem de 90 anos: acordava cedo, tomava café assistindo ao noticiário dos telejornais e em seguida lia os impressos. Em dias ensolarados, passeava  pelas ruas do entorno do apartamento onde morava com Betty, sob os cuidados da filha Inês e do genro Fernando Barros. Aos domingos ia à missa. Também gostava de acompanhar jogos de futebol pela TV, sobretudo quando seu time, o Vasco da Gama, entrava em campo.

 

Sempre bem-humorado, só ficava triste pela distância de Friburgo, cidade onde viveu e pela qual trabalhou por tantos anos.  “Sinto muitas saudades, pois Nova Friburgo foi a cidade que escolhi para viver, criar meus filhos. Estou certo de que contribuí de alguma forma para a melhoria da qualidade de vida de sua população. Tenho muitos amigos em Nova Friburgo e gostaria de reencontrá-los. Voltar, porém, somente quando a minha saúde permitir”, disse ele na entrevista.

A direção e toda a equipe de A VOZ DA SERRA lamenta muito a perda de Heródoto e se solidariza com a família Bento de Mello neste momento doloroso e de luto para toda a cidade.

TAGS: obituário