IML de Friburgo terá sala lilás para atendimento diferenciado a mulheres

Espaço mais humanizado será destinado às vítimas de violência doméstica, sexual, por homofobia e interpessoal
terça-feira, 01 de outubro de 2019
por Jornal A Voz da Serra
O projeto  foi apresentado em cerimônia no gabinete do prefeito Renato Bravo (Foto: divulgação)
O projeto foi apresentado em cerimônia no gabinete do prefeito Renato Bravo (Foto: divulgação)

 A Prefeitura de Nova Friburgo anunciou esta semana a implantação, em breve, de um espaço diferenciado para o atendimento a mulher no Instituto Médico Legal (IML) do município, que funciona na Avenida Presidente Costa e Silva, no bairro Vila Nova, ao lado da 151ªDP e do quartel do 11ºBPM.Trata-se da Sala Lilás, onde as vítimas de violência doméstica, sexual, por homofobia e interpessoal, terão um atendimento reservado e humanizado para avaliação pericial dos protocolos de saúde exigidos por lei.

O prefeito Renato Bravo apresentou o projeto em cerimônia em seu gabinete com a participação da secretária municipal de Assistência Social Direitos Humanos e Trabalho, Cláudia Mara Barbosa; da coordenadora do Centro de Referência da Mulher (Crem), Luciana Silva, e da presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher, Helena Piragibe.

A Sala Lilás é fruto de uma parceria com o governo do Estado do Rio de Janeiro, envolvendo equipes das secretarias municipais e estaduais. No novo espaço, apenas profissionais mulheres, com a devida qualificação, irão atuar no amparo às vítimas de violência. No Estado do Rio já existem duas salas em funcionamento. Os municípios de Petrópolis e Niterói são os próximos a serem dotados de uma Sala Lilás em seus IMLs após Friburgo. 

A secretária municipal de Assistência Social, Cláudia Mara, falou sobre o próximo passo: “Vamos agora marcar novas reuniões, para que possamos fazer o termo de cooperação técnica com o Tribunal de Justiça, Secretaria de Saúde do município e Secretaria Estadual de Saúde. Nossa busca é por potencializar a rede de mulheres da cidade trazendo este carinho, que a Sala Lilás proporcionará na hora do atendimento em um momento de fragilidade e para que todos se sintam mais à vontade. Assim poderemos melhorar o nível de notificação e identificação dessa violência contra a mulher em nosso município que já vem acontecendo há muitos anos graças há muitos trabalhos da sociedade civil e, agora, com apoio do poder público”, observou Cláudia Mara. 

 

TAGS: