Ilha da fantasia

terça-feira, 08 de novembro de 2016
por Jornal A Voz da Serra

CIRCULA NAS redes sociais petição eletrônica buscando apoio da sociedade para transformar em projeto de lei de iniciativa popular a proposta que reduz de 513 para 300 o número de deputados federais e pela metade a quantidade de senadores. Faz sentido. De quatro em quatro anos milhares de políticos entram na disputa por uma das cadeiras da Câmara dos Deputados. A disputa é ferrenha, com a concorrência sendo muito maior que a apurada pela Universidade de São Paulo no vestibular de medicina, por exemplo.

E NÃO É PARA menos. Um deputado embolsa hoje um salário de R$ 33.763 mensais, além de auxílio-moradia de R$ 4.253 ou apartamento de graça para morar, verba de R$ 92 mil para contratar até 25 assessores e de R$ 30.416,80 a R$ 45.240,67 por mês para gastar com alimentação, aluguel de veículo e escritório, divulgação do mandato, entre outras despesas. Tudo isso para chegar em Brasília na segunda-feira, trabalhar terça, quarta e, quando muito, na manhã de quinta, e retornar para o estado de origem para descansar.

ESTUDO DA Transparência Brasil apontou que o Congresso brasileiro é o mais caro do mundo na divisão por habitante. No geral, apenas o Congresso dos Estados Unidos é mais caro que o brasileiro, mas ainda assim pesa menos no bolso de cada cidadão quando o orçamento é dividido pelo número de habitantes e pela quantidade de estados.

SE A REDUÇÃO fosse aprovada, o custo do Poder Legislativo brasileiro, considerado o mais caro do planeta, cairia pela metade, gerando uma economia de quase R$ 2 bilhões aos cofres públicos. Hoje, cada deputado federal e senador custam, em média, R$ 250 mil mensais à sociedade, mas o custo do Poder Legislativo para o país é ainda maior se considerado o exagerado número de vereadores que formam as 5.570 câmaras municipais e os mais de dois mil deputados estaduais que compõem as 27 assembleias legislativas. 

A PROPOSTA DE projeto de lei de iniciativa popular é promover o enxugamento de estruturas administrativas do Poder Legislativo, proporcionando significativa redução de despesas públicas para que os recursos possam ser utilizados em outras áreas, como educação, saúde e segurança pública.

UM CONGRESSO Nacional com quase 600 integrantes não se justifica num país onde milhões de pessoas não têm acesso à verdadeira cidadania. O fato é que tanto a Câmara dos Deputados quanto o Senado Federal são verdadeiras ilhas da fantasia num país como o Brasil. A situação no Senado Federal é ainda mais vexatória diante de tantos privilégios assegurados aos nobres representantes do povo.

 

TAGS: