Governo federal libera R$ 250 milhões para tentar zerar filas de cirurgias eletivas

Incentivo do Ministério da Saúde começa a ser repassado este mês. Friburgo recebe R$ 1,8 milhão por ano
sábado, 11 de janeiro de 2020
por Jornal A Voz da Serra
O centro cirúrgico do Raul Sertã (Arquivo AVS)
O centro cirúrgico do Raul Sertã (Arquivo AVS)

O Ministério da Saúde vai liberar R$ 250 milhões a mais para a ampliação do acesso de pacientes às cirurgias eletivas (aquelas que podem ser agendadas) realizadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Com o incentivo aos municípios, o Governo Federal pretende zerar a fila de espera de cirurgias eletivas de média complexidade e diminuir o tempo de espera daqueles que aguardam há tempos por procedimentos já agendados. 

O recurso será direcionado a 53 tipos de procedimentos cirúrgicos, entre eles, catarata, varizes, hérnia, vasectomia e laqueadura, além da cirurgia de astroplastia (quadril e joelho) entre outras com grande demanda reprimida identificada.

Segundo o Governo Federal, com o valor extra de R$ 250 milhões, mais cirurgias eletivas poderão ser realizadas este ano. Os gestores estaduais, municipais e do Distrito Federal, responsáveis pela organização e a definição dos critérios regulatórios que garantam o acesso dos pacientes aos procedimentos cirúrgicos eletivos, já podem se programar para a utilização dos recursos de acordo com a população per capita de cada estado.

O Estado do Rio de Janeiro irá receber R$ 20.550 milhões para acelerar a fila de espera por cirurgias eletivas. A Secretaria Municipal de Saúde de Nova Friburgo informou que recebe aproximadamente R$ 1.800 milhão por ano, mas o repasse do governo estadual ainda não foi creditado. A prefeitura vai disponibilizar o recurso para dar andamento a fila de cirurgias eletivas programadas no Hospital Raul Sertã. 

O valor total será concedido no orçamento por meio do componente Fundo de Ações Estratégicas e Compensação (Faec). O incentivo, no entanto, somente será liberado para os gestores após a apresentação da produção executada no sistema de informação do SUS e para aqueles que ultrapassarem o teto MAC (Média e Alta Complexidade) do município.

 

TAGS: saúde | Governo