Gasolina e diesel devem aumentar em Friburgo esta semana

Combustíveis têm reajuste nas refinarias; repasse aos consumidores fica a critério das distribuidoras e dos postos
quinta-feira, 19 de setembro de 2019
por Alerrandre Barros (alerrandre@avozdaserra.com.br)
Gasolina e diesel devem aumentar em Friburgo esta semana

 

A Petrobras elevou na última quinta-feira, 19, o preço médio da gasolina em 3,5% nas refinarias da estatal, e do óleo diesel em 4,2%. A informação foi divulgada pela assessoria de imprensa da companhia no dia anterior. O repasse ou não do aumento para os consumidores finais fica a critério das distribuidoras e dos postos de combustíveis.

Com o aumento, a gasolina terá uma alta média de R$ 0,05 em seu preço nas refinarias, e o diesel acréscimo de R$ 0,09 por litro. Em Nova Friburgo, o repasse aos consumidores pode ocorrer já nesta semana. 

O reajuste nos dois combustíveis vem após a disparada nos preços do barril do petróleo no mercado internacional na segunda-feira, 16, em consequência dos ataques a instalações petroleiras na Arábia Saudita, no último fim de semana. O incidente baixou pela metade a produção do maior exportador do mundo.

Ainda na segunda-feira, após aumento de 13% no preço do barril nas cotações internacionais (a maior alta diária desde 2008), a Petrobras informou que esperaria o mercado se acalmar para definir reajustes, com o objetivo de evitar repasses das volatilidades ao consumidor brasileiro.

Após a disparada, os preços começaram a cair já na terça-feira, 17, compensando parte do aumento, depois que a Arábia Saudita anunciou o restabelecimento parcial de sua produção. Até a última quarta-feira, 18, o barril do Brent - referência internacional - acumulou alta de 5,6%, fechando 63,60 dólares por barril, segundo a agência de notícias Reuters.

A política de reajustes de preços da Petrobras vem levando em conta as cotações internacionais, além de outras variáveis, seguindo as condições do mercado. O último reajuste da gasolina nas refinarias havia ocorrido no último dia 5 e o do diesel, no última sexta-feira, 13. Os valores, porém, variaram outras vezes na distribuição aos postos. Em sua página na internet, a Petrobras explica como funcionam o mecanismo e as decisões de formação de preços dos combustíveis por ela vendidos.

“Nossa política de preços para a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras tem como base o preço de paridade de importação, formado pelas cotações internacionais destes produtos mais os custos que importadores teriam, como transporte e taxas portuárias, por exemplo. A paridade é necessária porque o mercado brasileiro de combustíveis é aberto à livre concorrência”, explicou a estatal.

 

TAGS: