Frizão perde mais uma e, sem pontuar, vai para o Grupo X

Tricolor da Serra joga nesta quarta já sem chance de chegar à fase principal do Carioca, restando a disputa para não voltar à Série B
segunda-feira, 06 de janeiro de 2020
por Vinicius Gastin
 Entre os titulares, zagueiro Bruno foi uma das novidades do Friburguense no Moacyrzão
Entre os titulares, zagueiro Bruno foi uma das novidades do Friburguense no Moacyrzão

E lá se vão três rodadas da Seletiva sem que o Friburguense tenha marcado ao menos um gol. E foi esse grande pecado da equipe contra o Macaé no último sábado, 4, no Moacyrzão. As oportunidades apareceram, as principais com Dedé, mas não foram convertidas. Já o time da casa, mesmo com um homem a menos no segundo tempo, conseguiu marcar com Matheus Babi e vencer por 1x0.

Na próxima rodada, já nesta quarta-feira, 8, o Friburguense recebe o América, às 15h, no Eduardo Guinle. Ainda sem pontuar, o Tricolor não tem mais possibilidades de chegar à fase principal do Campeonato Carioca, e vai restar a disputa para não voltar à Série B1, permanecendo assim na Seletiva do ano que vem. 

O jogo

A semana de treinos do Friburguense foi muito além da parte física e tática. A questão psicológica foi bastante trabalhada pela comissão técnica junto aos jogadores, pois era consenso que a equipe poderia render mais do que o apresentado contra a Portuguesa, em Nova Friburgo. Tal mudança de postura pôde ser percebida logo aos dois minutos. O time que teve alguma dificuldade para criar diante da Lusa, por muito pouco não abriu o placar no Moacyrzão. Toshyia recebeu no fundo e levantou na medida para Dedé cabecear, rente a trave direita de Johnatan.

Outros dois detalhes chamaram a atenção no início de jogo em Macaé. O primeiro foi a chuva forte, sem dar trégua, provocando vários escorregões e erros de passe. O segundo foi a presença de Bruno Leal entre os titulares, na vaga de Julio Cesar. Foi contra o camisa quatro que Hudson brigou pelo alto aos seis minutos e conseguiu cabecear com perigo, à direita. O ex-jogador do Frizão foi quem acertou o primeiro chute em gols, aos 12, facilmente defendido por Afonso no centro da meta. 

Com Jorge Luiz de volta à equipe, o repertório de jogadas aumentou. Sempre presente nas ações ofensivas, o camisa 10 era quem coordenava o meio de campo e quase sempre buscava as ultrapassagens de Digão pela esquerda. 

Quando Jorge buscou o lado direito, aos 30, Toshyia teve liberdade para tentar o levantamento, afastado pelo leve toque de Johnatan com a ponta dos dedos. Pouco depois, o japonês conseguiu ajeitar o levantamento de Dedé e bater, travado pela marcação. Da mesma forma, Matheus Babi foi atrapalhado por Raniel e não concluiu ao gol, como gostaria, aos 40 minutos. O último lance de perigo em um primeiro tempo de superioridade do Friburguense.

Segundo tempo

Se o Macaé mexeu, o Friburguense manteve a mesma formação para a etapa final. O time da casa passou os primeiros instantes no campo de ataque, e de cabeça, Raniel bloqueou o belo chute de Julinho, que teria a direção do gol. Ao time comandado por Cadão faltava mais capricho na conclusão das jogadas, e para tentar mudar o quadro, o treinador mandou Ricardo a campo logo aos cinco minutos. Mas foi o Macaé quem voltou a ameaçar aos nove, quando Julinho recebeu com liberdade na grande área e bateu cruzado. Afonso desviou de leve para evitar o gol. Foi o lance que antecedeu a entrada de Estevão em campo.

O meia nem teve a primeira oportunidade de tocar na bola e o Friburguense criou a melhor chance no jogo. Bruno cobrou falta, a bola desviou na barreira, passou por Raniel e sobrou limpa para Dedé na marca do pênalti. O atacante conseguiu girar, mas bateu por cima. O Tricolor cresceu no jogo depois do lance, e por pouco Raniel não aproveitou saída equivocada de Johnatan. O Macaé demonstrou nervosismo, e Maranhão foi expulso ainda antes da parada técnica.

Com um homem a mais, a posse de bola do Frizão voltou a ser maior. A equipe da casa passou a jogar com uma linha de quatro na defesa, Gedeil à frente dela, três meias e Babi mais avançado. O inesperado foi a infiltração de Paulo Victor aos 31 minutos. Toshyia dividiu com o lateral na grande área, e o árbitro interpretou o lance como pênalti. Matheus Babi cobrou e abriu o placar no Moacyrzão. 

Não dá para reclamar que as oportunidades não apareceram. Aos 44 minutos, Jorge Luiz foi ao fundo, cruzou e a bola atravessou toda a grande área e sobrou para Toshyia acertar a trave. No rebote, Miguel, na marca do pênalti, bateu para fora. Em um campeonato curto, que não permite falhas, o Friburguense errou demais nas partidas. Algo a se corrigir para a disputa do grupo X.

Ficha Técnica

Macaé 1x0 Friburguense

Campeonato Carioca Série A 2020

Fase Seletiva – 3ª rodada

04/01/2020- 15h

Estádio Claudio Moacyr, Macaé-RJ

Árbitro: João Ennio Sobral

Assistentes: Diego Luiz Barcelos e Raphael dos Reis

Macaé: Jonathan; Luiz Eduardo, Vladimir, Maílson e Paulo Vitor; Gedeil, Julio Santos, Julinho e Gerson; Hudson e Matheus Babi.

Técnico: Mário Junior

Friburguense: Afonso; Murillo, Raniel, Bruno Leal e Digão; Diogo, Jeffinho (Estevão, Miguel), Jorge Luiz e Rodriguinho (Ricardo); Toshiya e Dedé.

Técnico: Cadão

TAGS: futebol