Friburguense perde para o Portuguesa no Eduardo Guinle

Para seguir com chances de avançar à fase principal da Série A, Tricolor da Serra precisa vencer o Macaé, no sábado
segunda-feira, 30 de dezembro de 2019
por Vinicius Gastin
Cadão orienta a equipe: entrada de Jorge Luiz deu nova dinâmica, mas não foi suficiente
Cadão orienta a equipe: entrada de Jorge Luiz deu nova dinâmica, mas não foi suficiente

O Friburguense não conseguiu pontuar novamente no segundo dos cinco jogos decisivos pela Seletiva do Campeonato Carioca. A equipe lutou bastante, mas não foi criativa, o suficiente, para construir as oportunidades e ameaçar uma Portuguesa bem postada na defesa, além de letal nos contra ataques: foram dois, um no primeiro tempo e outro no segundo, que resultaram nos gols de Romarinho, Adriano e na vitória por 2x0 no Eduardo Guinle. 

A derrota na tarde do último domingo, 29, foi a primeira em casa do Tricolor da Serra na temporada, considerando também as partidas realizadas pela Série B1.

Na próxima rodada, o Friburguense viaja para enfrentar o Macaé. A partida acontece no sábado, 4, às 15h, no Moacyrzão. Para seguir com chances de avançar à fase principal, o Frizão precisa vencer o confronto no Norte Fluminense. Na rodada deste final de semana, América e Americano empataram sem gols, enquanto o Macaé bateu o Nova Iguaçu por 2x0.

O jogo

“Talento de Jorge Luiz é uma das armas do Friburguense contra a Portuguesa”. Essa era a legenda de uma das fotos publicadas por A VOZ DA SERRA na edição que antecedeu o jogo em Nova Friburgo. No entanto, a habilidade e a liderança do maestro ficaram como opções no banco de reservas. Por conta de uma lesão, Jorge foi preservado pela comissão técnica e deu lugar a Rodriguinho no time titular. O restante da equipe foi o mesmo que enfrentou o Nova Iguaçu na semana anterior.

Do outro lado estava a Portuguesa. Rival tradicional, adversário da polêmica final da Copa Rio que terminou com vitória do Friburguense em campo e da Lusa no tapetão. Uma das equipes de maior investimento da Seletiva começou com postura mais cautelosa no Eduardo Guinle. E desta forma, o Tricolor da Serra manteve a posse de bola, enquanto a Portuguesa permaneceu postada no campo defensivo. 

Resultado: os primeiros 20 minutos foram de pouca emoção. Os visitantes apostavam na velocidade da dupla de ataque nos contra golpes, enquanto o Frizão rodava a bola em busca dos espaços. Em um dos raros momentos de breve liberdade, Rodriguinho passou por Luís Gustavo e foi derrubado. Jeffinho levantou, a defesa afastou e Digão tentou de longe, por cima da meta.

O panorama pouco mudou na metade final do primeiro tempo. Afonso trabalhou apenas com os pés, como se fosse um líbero, para bloquear os lançamentos adversários. Já o Friburguense seguiu a estratégia de girar o jogo, e conseguiu ameaçar de fato aos 32 minutos, quando Marcão e Diego Guerra se atrapalharam e a bola sobrou para Dedé. 

O camisa 9 levou ao fundo e bateu cruzado. Toshyia desviou dividindo com o zagueiro, e a bola resvalou a trave direita de Jefferson. Eficiente na única bola que teve, a Portuguesa aproveitou um cochilo da defesa friburguense e chegou ao gol aos 46 minutos, em belo chute de Romarinho.

Segundo tempo

Friburguense e Portuguesa voltaram para a etapa final, sem alterações. Mas a Lusa esteve mais ligada nos primeiros minutos, e criou pelo menos duas boas chances com Romarinho e Diego Maia. Nesta segunda, Afonso interceptou a bola cruzada à meia altura para a grande área. Foram oito minutos exatos para que o técnico Cadão pudesse promover a entrada de Miguel na vaga de Ricardo. 

Entretanto, foi a Portuguesa que voltou a ameaçar aos 16, após bobeada de Digão. Chayene avançou com a bola e bateu com perigo, à esquerda de Afonso. Lance que manteve o Frizão vivo, e precedeu a entrada de Jorge Luiz em campo.

Depois de mais uma boa chegada da Portuguesa, o Friburguense cresceu na partida através da iniciativa de Toshyia e Rodriguinho pela direita. O lance, que quase resultou na cabeçada de Dedé, fez o Tricolor povoar um pouco mais o meio-campo e ganhar terreno. Com Jorge Luiz e Jeffinho mais recuado, a articulação funcionou um pouco melhor. Contudo, as tentativas de penetração e trocas de passes foram frustradas, e efetivamente, Jefferson pouco trabalhou. 

A Lusa encontrou o contra ataque esperado aos 33 minutos, quando Adriano ganhou de Digão e mandou para o fundo das redes. Depois da entrada de Ziquinha, o Friburguense ainda tentou nas jogadas pelo lado de campo, na base do abafa, mas seguiu sem finalizar ao gol. 

 

Ficha Técnica

Friburguense 0x2 Portuguesa

Campeonato Carioca Série A 2020

Fase Seletiva – 2ª rodada

28/12/2019 - 15h

Estádio Eduardo Guinle, Nova Friburgo-RJ

Renda: R$ 7.860,00

Público: 789 pagantes

Árbitro: Tarcizo Pinheiro Caetano

Assistentes: Wallace Santos e Marcus Vinicius Brandão 

Friburguense: Afonso; Murillo, Raniel, Júlio César e Digão; Diogo Alves (Jorge Luiz), Jeffinho, Rodriguinho e Ricardo (Miguel); Toshiya e Dedé (Ziquinha).

Técnico: Cadão

Portuguesa: Jefferson; Luis Gustavo, Marcão, Diego Guerra e Diego Maia; Maicon Douglas, Muniz (Lucas Vinicius) e Romarinho (Henrique); Chayene, Sorriso (Adriano) e André Silva.

Técnico: Rogério Correa

 

TAGS: futebol