Friburgo tem menos de 9 mil eleitores com ensino superior completo

Total de aptos a votar subiu de 149 mil para 152 mil desde as últimas eleições; perfil foi divulgado pelo TSE
segunda-feira, 01 de outubro de 2018
por Alerrandre Barros (alerrandre@avozdaserra.com.br)
Friburgo tem menos de 9 mil eleitores com ensino superior completo

 

O eleitorado friburguense aumentou 1,8% nos últimos quatro anos, saltando de 149.129 mil, em 2014, para 151.918 pessoas aptas a votar na eleição deste ano. Os números foram revelados na última semana, durante o lançamento do Centro de Divulgação das Eleições do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A maioria dos eleitores na cidade é formado por mulheres, com 80.248 mil (52,8%), enquanto os homens somam 71.491 (47,1%). Em 2014, as mulheres eram 78.221 mil (52,05%) e os homens, 70.707 (47,4%). Do total de pessoas que podem votar no próximo pleito, 61,6% são solteiros, e 31,7% casados.

Os adultos, cuja faixa etária vai dos 30 aos 59 anos, concentram mais eleitores no município, com 82.922 mil, o que corresponde 54,5% do eleitorado. Em seguida, estão os jovens, de 16 a 29 anos, que reúnem 56.580 mil eleitores (37,2%). Já os idosos, de 60 a mais de 100 anos, contam com 37.967 votantes.

Nova Friburgo tem 132 eleitores com 100 anos ou mais. E 762 menores de idade, que não são obrigados a votar, mas tiraram o título e poderão escolher seus candidatos em outubro. Somente 8.891 mil eleitores friburguenses têm ensino superior completo – 5,8% do eleitorado. Apenas 23.942 mil (15,7%) concluiu o ensino médio, e 14.343 mil (9,4%) terminaram o ensino fundamental. O município tem 5.316 analfabetos aptos a votar. E 13.973 mil eleitores que sabem somente ler e escrever.  

Segundo a Justiça Eleitoral, essas estatísticas devem ser vistas com relatividade, pois a informação reflete a escolaridade declarada pelo eleitor no momento do registro eleitoral ou da atualização de seus dados cadastrais nos cartórios da 26ª e 222ª zonas eleitorais, localizados na Praça Getúlio Vargas, 89 (antigo fórum), no centro da cidade.

Mais de 400 eleitores têm alguma deficiência

Ao todo, 431 eleitores declararam ter algum tipo de deficiência ou mobilidade reduzida em Nova Friburgo. A maior parte tem dificuldade de locomoção: 220 eleitores. Deficientes visuais somam 62 e deficientes auditivos, 17. Essas pessoas têm até o próximo dia 23 para solicitar transferência para uma seção com acesso facilitado.

Pela primeira vez, eleitores transexuais e travestis terão seu nome social impresso no título de eleitor e no caderno de votação das eleições 2018. Ao todo, dez friburguenses fizeram essa escolha ao se registrar ou atualizar seus dados no Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ).

Dados do TSE mostram ainda que somente 14.360 mil eleitores friburguenses fizeram o cadastro para biometria. A identificação pela digital, porém, ainda não é obrigatória no município. No estado, a medida é obrigatória somente em São Sebastião do Alto, Queimados e Trajano de Moraes.

Nova Friburgo é 14º maior colégio eleitoral do estado do Rio. Em primeiro lugar está a capital com 4.981.885 milhões de eleitores, seguida por São Gonçalo (678.579 mil), Duque de Caxias (634.781 mil), Nova Iguaçu (588.473 mil) e Niterói (384.813) mil. São Sebastião do Alto é a cidade com menos eleitores, 6.732 mil.

Primeiro turno das eleições será no dia 7 de outubro

No próximo dia 7 de outubro, 147.302.354 milhões de eleitores brasileiros, distribuídos pelos 5.570 municípios do país, vão eleger o novo presidente da República, deputados federais, deputados estaduais ou distritais, dois senadores por estado e o governador de cada uma das 27 unidades da federação.

Do total, 500.727 mil eleitores brasileiros que vivem no exterior e estão aptos a votar, em 171 localidades de 110 países, nas eleições deste ano. Esse número é expressivo, quando comparado com 2014 quando o contingente de eleitores brasileiros no exterior somava 354.184 mil. O crescimento em quatro anos, portanto, é de 41,37%.

TAGS: eleições