Friburgo tem 1ª morte por gripe H1N1: idoso não vacinado

Cerca de 23 mil pessoas do público-alvo ainda não se imunizaram contra a doença. Campanha termina sexta
segunda-feira, 27 de maio de 2019
por Alerrandre Barros (alerrandre@avozdaserra.com.br)
Friburgo tem 1ª morte por gripe H1N1: idoso não vacinado

No último fim de semana, um homem de 65 anos morreu em Nova Friburgo vítima da gripe H1N1, informou nesta segunda-feira, 27, a Secretaria Municipal de Saúde. É o primeiro caso de morte pela doença registrado na cidade este ano. Ele estava internado no Hospital Municipal Raul Sertã e não havia tomado a vacina contra a gripe (Influenza), disponível em postos de saúde da município.

A menos de uma semana do término da campanha nacional de vacinação contra a doença, previsto para a próxima sexta-feira, 31, sete pacientes contraíram a gripe na cidade e vêm recebendo tratamento médico. Segundo a Secretaria de Saúde, somente 31 mil pessoas do grupo prioritário foram imunizadas desde o início da campanha, em abril. Esse número corresponde 57% da meta - a prefeitura planeja imunizar 54 mil pessoas.

Onde se vacinar

A vacina contra a gripe está sendo oferecida nos postos de saúde Sylvio Henrique Braune, no Suspiro; Tunney Kassuga, em Olaria; e Waldir Costa, em Conselheiro Paulino, de segunda à sexta-feira, das 8h às 16h30. A Unidade Básica de Saúde José Copertino Nogueira, em São Geraldo, também imuniza a população todas as terças e quintas-feiras, das 9h às 16h.

As doses estão disponíveis para gestantes e crianças de 6 meses a menores de 6 anos, idosos a partir dos 60 anos, puérperas (mulheres até 45 dias após o parto), indígenas, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medida socioeducativa e população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional, e pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições especiais, independente da idade.

A vacina também é oferecida aos professores das escolas públicas e privadas, profissionais da saúde e das forças de segurança e salvamento, como policiais civis, militares, bombeiros e membros ativos das Forças Armadas.

Dezoito mortes no estado

No estado do Rio de Janeiro, a Secretaria Estadual de Saúde informou nesta segunda-feira, 27, que registrou este ano 77 casos da doença, sendo 18 óbitos. No ano passado, foram 30 mortes. Cerca de 2,6 milhões de pessoas já foram vacinadas contra a gripe nos 92 municípios fluminenses até a última semana, o que representa cerca de 54,5% do público-alvo. A expectativa é vacinar 4,9 milhões de pessoas no estado.  

“A vacina contra a Influenza é uma das medidas mais efetivas de prevenção em relação à doença e suas complicações”, garante o secretário estadual de Saúde, Edmar Santos. Estudos demonstram que a imunização contra a gripe pode reduzir entre 32% e 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da gripe.

Infecção viral respiratória aguda, a gripe pode levar o paciente à morte. A doença afeta pessoas em qualquer idade, sendo facilmente transmitida através da tosse, espirro e contato próximo com uma pessoa ou superfície contaminada. A hospitalização e o óbito podem ocorrer principalmente entre os grupos de alto risco – que são crianças menores de 5 anos, gestantes, portadores de doenças crônicas e idosos.

Os tipos de vírus causadores

A gripe pode ser causada por quatro tipos do vírus influenza: H1N1 e H3N2 e Yamagata e Victoria. Como esses vírus estão em constante mudança de um ano para outro, novas vacinas precisam ser produzidas anualmente e, por isso, é importante se vacinar contra a gripe todos os anos, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). Existem dois tipos de vacinas contra a gripe: a trivalente, que protege contra três tipos do vírus, e a tetravalente, que protege contra os quatro.

 

TAGS: saúde | vacina