Friburgo reúne 35 atléticas e mais de 2 mil jovens neste feriadão

Jogos Universitários Friburguenses (Junfri) prometem bater todos os recordes este ano
quarta-feira, 14 de novembro de 2018
por Vinicius Gastin
Uma das atléticas dispurtando edições passadas (Arquivo AVS)
Uma das atléticas dispurtando edições passadas (Arquivo AVS)

Dez anos depois do primeiro evento, os Jogos Universitários Friburguenses prometem bater todos os recordes na edição deste ano. O tradicional encontro entre as atléticas, de dezenas de universidades do Estado, começa com a parte esportiva nesta quinta-feira, 15, e prossegue até domingo (18). Além das modalidades, há também as sempre concorridas festas em casas noturnas do município, onde há o momento de confraternização dentre a competitividade dos jogos.

 “A gente começou a ter a noção do crescimento do evento a partir de 2014, quando convidamos universidades de fora de Nova Friburgo. Para este ano, montamos uma mega estrutura, com diversas pessoas envolvidas em várias áreas. Hoje contamos com 35 pessoas no staff, cerca de 50 seguranças, duas socorristas por local de evento, sem contar as equipes de arbitragem, contratadas das Federações, totalizando mais 45 pessoas”, destaca Fellipe Malhard, um dos idealizadores e organizadores do evento.

Parte do calendário esportivo oficial de Nova Friburgo, o JunFri de 2018 contará com a participação  de mais de 2,5 mil atletas, de 13 cidades do Estado do Rio, distribuídos em 35 atléticas universitárias. Eles se enfrentam em disputas de atletismo, futsal, basquete, cabo de guerra, natação, vôlei, handebol, tênis de mesa, cheerleading, Fut 7, poker, jiu-jítsu, League of Legends, CS GO, Fifa (Game). Essas quatro últimas citadas são algumas das novidades para este ano.

Os jogos serão realizados em dez locais: Ginásio do Friburguense (Olaria); Adhemar Combat (Olaria); GPH (Cônego); Colégio Canadá (Olaria); Colégio Galdino do Valle Filho; Ginásio de Duas Pedras; Ginásio de Conselheiro Paulino; Complexo Arena; Nova Friburgo Country Clube. Há ainda o ginásio do Colégio Estadual Vicente de Moraes, em Conselheiro Paulino, como opção. Para receber os atletas, foi feita uma parceria com a Universidade Estadual do Rio de Janeiro em Nova Friburgo, que irá funcionar como uma espécie de alojamento. Há também parcerias com alguns hotéis do município.

Divisão por séries

Para organizar a competição com 40 equipes, um sistema de divisões – parecido com o do futebol profissional, por exemplo – foi criado e será implantado este ano. A divisão foi feita de acordo com a classificação do Junfri de 2017, e as atléticas estreantes estão na chamada Série C – o que não significa, portanto, menos qualidade. Na Série A, estarão 13 equipes: Isefúria, Unifeso (Teresópolis), Atlética Alcateia (Cefet de Nova Friburgo), Furiosa (UFF de Nova Friburgo), Ibmec (Rio) Maníacos da Estácio (Nova Friburgo), Engenharia Rural, UVA de Cabo Frio, Liga Ufrk (Macaé), UCP (Petrópolis), Cavaleiros da Unesa (Macaé), SeleUFF e Olympians.

Outras 13 atléticas vão compor a Série B, uma espécie de Segunda Divisão: Atlética Uerj (Nova Friburgo), UVA Tijuca, Acadêmica UFF (Rio das Ostras), Campos UFF, Biggdogs (Macaé), Atlética Unopar (Nova Friburgo), UFF União (Macaé), Atlética Unirio, Mega Loucos (Estácio Petrópolis), Atlética Unisuam, Atlética Unilasalle, Liga IBMR e Espartnoz. Outras oito equipes disputam a terceira divisão (série C): UCAM Nova Friburgo, Atlética Fênix, Atlética Guardiões (Estácio Cabo Frio), Uniperverso (Campos), Vikings (Mackenzie Rio de Janeiro), Fase Petrópolis, Atlética Engenharia (UFF Petrópolis) e Unesa (Campos).

“Além do giro econômico há uma prévia. Muitos professores de Educação Física são contratados pelas atléticas para fazerem toda a preparação para os jogos. Também são contratados profissionais de fisioterapia, administração para gerir as atléticas e muitos outros setores”, destaca Malhard.

De acordo com o regulamento, os dois últimos colocados de cada divisão serão rebaixados e disputarão a divisão inferior em 2019. Do mesmo modo, o campeão e o vice da terceira e segunda divisões conquistarão o acesso para as divisões acima.

As modalidades esportivas também terão as suas subdivisões, e vão contar pontos de acordo com essa classificação. A Modalidade Ouro contempla Basquete Masculino, Basquete Feminino, Futsal Masculino, Futsal Feminino, Handebol Masculino, Handebol Feminino, Voleibol Masculino, Voleibol Feminino e Fut 7 Masculino. Já na Modalidade Prata estão o Cabo de Guerra Masculino, Cabo de Guerra Feminino, Atletismo Masculino, Atletismo Feminino, Natação Masculino, Natação Feminino, Tênis de Mesa Masculino, Tênis de Mesa Feminino, Fifa, Poker e Desafio de Cheerleading. A terceira modalidade, intitulada como Teste, reúne o Desafio de Bateria, League Of Legends, e Jiu-Jístu.

Criado no ano de 2009 por estudantes das principais Universidades de Nova Friburgo, o JUNFRI – Jogos Universitários Friburguenses, resgatou a tradição do esporte nas universidades da cidade. Ampliado nos anos seguintes com novas modalidades, entrou no calendário anual dos estudantes. A organização e a visibilidade renderam o prêmio de Melhor Evento Esportivo de Nova Friburgo no ano de 2010/2011, eleito pelo JORNAL A VOZ DA SERRA. Em 2017, a SeleUFF, de Niterói, foi a campeã do evento.

O ano de 2014 marcou o início de uma nova era, com a participação de universidades de outras cidades trazendo estudantes de diversas localidades do estado para Nova Friburgo. O Junfri se tornou o maior evento esportivo universitário da região serrana do Estado do Rio de Janeiro trazendo estudantes de diversas cidades movimentando o comércio, o turismo e o entretenimento através do esporte. Há também a parte de festas, com destaque este ano para atrações como o Grupo Exalta, Felguk e Dennis DJ, dentre outras atrações. Informações sobre datas e ingressos podem ser obtidas na página do Junfri nas redes sociais.

TAGS: