A festa do coração

segunda-feira, 05 de setembro de 2016
por Jornal A Voz da Serra
A festa do coração

SEM RECEBER o mesmo apoio dos veículos de comunicação, nem os investimentos necessários para demonstrar a grandeza moral do ser humano, o Rio de Janeiro abre, amanhã, a Paralimpíada 2016. Ao todo, incluindo os estrangeiros, serão 4,3 mil atletas na Vila dos Atletas. Duzentos e setenta e nove atletas estarão compondo a maior delegação brasileira da História — 181 homens e 98 mulheres incluindo atletas-guias e goleiros. 

ENQUANTO na Olimpíada a beleza do corpo, a elegância e a coragem ficaram estampadas nos olhos de milhões de espectadores em todo o mundo, neste novo capítulo esportivo serão apresentados corpos mutilados, porém belos e nobres, capazes de superar os limites impostos pelas tragédias do cotidiano. 

SÃO ELES exemplos vivos do poder da vontade, do valor do enfrentamento quase contra o impossível, e que por isso mesmo são dignos de serem aplaudidos e copiados. Os paraolímpicos demonstram que a força de vontade e a determinação superam as provações a que foram submetidos, porém continuam demonstrando que o amor à vida é o objetivo essencial.

DOS 279 atletas brasileiros que participarão dos jogos, 101 (35,4%) sofreram algum tipo de acidente, seja de carro, moto, com arma de fogo ou de trabalho. Os dados são de um levantamento feito com base em informações fornecidas pelo Comitê Paralímpico Brasileiro. Entre os acidentados, grande parte (49) é vítima de acidente de trânsito (carro, moto ou atropelamento). 

OUTROS 12 atletas têm sequelas de lesões feitas por armas de fogo, seja em acidentes ou assaltos. Nove ficaram paralisados depois de acidentes em mar ou piscina e seis sofreram acidentes de trabalho. Também há atletas que sofreram outros tipos de acidentes, como quedas, acidentes esportivos e até ferimento por ataque de animais.  

A HISTÓRIA ainda não terminou. Passada a Olimpíada, abre-se um capítulo importante que retrata a garra e a força de vontade, sintetizada no desempenho dos atletas paraolímpicos. Mais uma vez o Rio irá despertar a curiosidade e o interesse do planeta para este país, que apesar de tantos problemas, consegue ser potência mundial paralímpica. A hora, portanto, é de saudar estes homens e mulheres e torcer pelo sucesso deste grandioso evento. Que venha a Paralimpíada.

TAGS: