Exposição de colecionador de borboletas começa nesta quinta

Naturalista autodidata Felipi Andrade mostra seu trabalho “Friburgo em Cores” na Usina Cultural
quarta-feira, 11 de setembro de 2019
por Ana Borges (ana.borges@avozdaserra.com.br)
As coleções expostas (Fotos de Erika Castro)
As coleções expostas (Fotos de Erika Castro)

Felipi Andrade, 23 anos, nasceu em São Fidélis, mudou-se ainda criança para Nova Friburgo, onde mora até hoje. Naturalista autodidata e entomólogo amador, desde os 12 anos, Felipi faz parte de uma equipe licenciada pelo Ibama, que estuda e coleta borboletas, com a finalidade de preservar as espécies em risco de extinção. 

“Sempre me interessei pela vida dos insetos. A existência deles despertava a minha curiosidade, mas sentia uma atração especial pelas borboletas, admirado pelas transformações pelas quais elas passam. Além da beleza, naturalmente. Meu foco se estende também às mariposas. Foi na infância, quando visitei uma coleção incrível, que senti uma vocação natural despertar em mim, para a pesquisa e estudos dos insetos. Comecei a ler e observar, por conta própria, sozinho mesmo”, conta o jovem. 

Ele revela sua admiração pelo “nosso patrono Julius Arp, cuja vida foi dedicada a colecionar borboletas, e serviu de inspiração e estímulo para que eu seguisse nesse caminho”, revela. Também é grato à equipe da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas, SP, considerada uma das melhores do país e da América Latina). 

“Faço parte de um grupo de estudos, que sempre me apoiou e me incentiva a continuar estudando a vida dos insetos. Sou pesquisador autônomo e tudo que faço é por amor às borboletas. Meu objetivo é divulgar esse trabalho, a importância das coleções para a devida conservação dessa biodiversidade toda que temos em Nova Friburgo”, esclarece Felipi.

Sua coleção conta com inúmeros exemplares da região, cuidadosamente coletados, fotografados, montados e catalogados por ele. Tem um sonho: atrair a atenção de alguma instituição que aceite a doação de sua coleção. “Espero que alguma instituição da cidade a receba para preservá-la e mantê-la em exposição permanente para o público, principalmente para estudantes. E pretendo continuar meus estudos sobre entomologia, ampliar e avançar em minhas pesquisas, diversificando cada vez mais essa coleção”. 

A inauguração da exposição é nesta quinta-feira, 12, das 15h às 18h, na Galeria da Usina Cultural Energisa. Praça Getúlio Vargas, 55, Centro. Visitação a partir de sexta-feira, 13, até 19 de outubro, de terça a sábado, das 13 às 18h. Patrocínio da Fundação Cultural Ormeo Junqueira Botelho. 

 

TAGS: exposição