Esforço compensado

terça-feira, 23 de agosto de 2016
por Jornal A Voz da Serra

A área turístico-cultural friburguense tem motivos de sobra para comemorar o mês de agosto. Embalada pelo indiscutível sucesso da olimpíada Rio 2016, com a presença da tocha no município, no último dia 30 de julho e os diversos feriados prolongados no município do Rio, a divulgação turística permitiu que muitas pessoas visitassem Nova Friburgo, contribuindo efetivamente para a economia local.

NESTE MÊS de agosto, finalmente, podemos ver o esforço ser compensado com promoções e eventos culturais além das ações feitas pelo poder público municipal. A iniciativa privada tem sido responsável por grandes promoções que animam a cidade e recolocam Nova Friburgo no cenário estadual do turismo cultural e de negócios.

AREALIZAÇÃO do Festival de Inverno do Sesc permitiu a vinda de eventos artísticos de qualidade, na esteira de outras promoções turísticas, como o Deguste – festival com as cervejas artesanais produzidas no município, realizado na Praça do Suspiro, e o Festival de Chocolate realizado na Queijaria Escola, em Conquista, levando inúmeros turistas à nossa zona rural.

SE A PALAVRA de ordem ainda é a reconstrução, a cultura e o turismo ficaram na linha de frente para que isto aconteça. Atingida como foi em 2011, a vida friburguense perdeu um pouco do seu encanto e atratividade turística, impedindo a produção cultural na cidade durante um longo período. Porém, o esforço conjugado permitiu que a cidade voltasse a respirar novos ares.

É DE SE destacar também outras promoções que ajudaram o mês de agosto a promover bastante o município. Festivais de queijos e vinhos aconteceram no Country Clube e neste último fim de semana no Friburguense, enaltecendo a gastronomia friburguense; shows musicais e o projeto Banda na Praça, valorizando o recém-inaugurado espaço cultural na antiga rodoviária urbana, na Praça Getulio Vargas.

O SETOR cultural friburguense possui um rico valor agregado para o turismo e a economia do município, gerando renda e criando diversas oportunidades de trabalho. Devemos, pois, tratá-lo como investimento para que volte à sua plenitude e não como uma atividade no final da fila das prioridades.

TAGS: