Escolas em crise

sábado, 24 de março de 2018
por Jornal A Voz da Serra

A ESCOLA brasileira vive uma crise sem fim, padecendo de precária infraestrutura na maioria das unidades; corpo docente desqualificado; frequentes conflitos com agressão física; baixíssimos índices de aprendizagem; alta taxa de evasão escolar; e intervenções descabidas de políticos.

ISSO EXPRESSA o tratamento relapso conferido pelos governantes, enquanto grande parte das famílias não mostra comprometimento maior com o sistema educacional. Muitas não estimulam os filhos a continuar os estudos, após o curso fundamental, porque preferem que eles assumam logo o trabalho remunerado a fim de contribuir para o orçamento doméstico.

A EDUCAÇÃO é tema recorrente em campanhas eleitorais, mas os vitoriosos não cumprem suas promessas nem criam projetos para destacar os méritos dos bons estudantes. Aquelas deficiências agravam-se ano a ano, gerando resultados pífios na formação dos jovens e frustração pessoal quando eles não conseguem demonstrar conhecimento indispensável à modernidade.

JÁ HOUVE boas escolas públicas neste país, em todos os níveis, mas a expansão da rede para universalizar o ensino, foi realizada sem o necessário aporte financeiro, inviabilizando muitas atividades com professores especializados e improvisando instalações. As crianças têm chegado sem conhecer os limites para a convivência pacífica e ordeira; há o desconforto de salas superlotadas, e os recursos materiais são sempre insuficientes.

TORNA-SE indispensável reverter esse quadro para que o país possa enfrentar os desafios inerentes ao desenvolvimento socioeconômico, diante do risco de perder definitivamente a competitividade no cenário internacional, mesmo quando se considera apenas a América Latina.

TAGS: