Em busca da renovação

quarta-feira, 20 de junho de 2018
por Jornal A Voz da Serra

NÃO É novidade para o cidadão consciente o desejo de que haja uma renovação dos quadros políticos nas próximas eleições. E o voto, numa democracia, é o meio de realização disso. No entanto, segmentos sociais estão descrentes até do uso do voto, quanto mais de que ele propiciaria uma renovação.

O DESCONTENTAMENTO popular com a classe política se deve ao fato de que os eleitos não atendem suas demandas básicas, faltam ao que prometem e ainda se corrompem, fazendo “negócios” à custa do Estado. 

A REDEMOCRATIZAÇÃO permitiu ao cidadão mais acesso à política, mas a renovação não correspondeu às expectativas. Nas duas últimas décadas, a taxa média foi de 45,7% entre os deputados federais e 39% entre os estaduais.

POR OUTRO lado, a restauração democrática piorou a qualidade dos candidatos. A criminalidade na política afugentou as pessoas que teriam mais condições de dar uma contribuição benéfica à política. 

A FRUSTRAÇÃO com a política tem feito a própria democracia ser questionada. Segmentos mais radicais prometem votar em branco, se abster ou anular o voto, indo no sentido contrário a seus desejos de mudança. 

É POUCO provável que tenhamos uma renovação expressiva na Câmara Federal e também na Assembleia Legislativa do Rio em outubro. As mudanças na lei eleitoral não favorecem as mudanças, indo também na direção oposta. No entanto, é auspicioso que a sociedade deseje mudança e esteja disposta a escolher caras novas.

TAGS: