Edilson Pará é medalha de prata no Aberto de Verão de Jiu-Jitsu

Após breve pausa, atleta voltará aos treinos para encarar os próximos desafios
quarta-feira, 20 de março de 2019
por Vinicius Gastin
Edilson e a segunda colocação no Rio: pelo menos mais dois desafios estão programados
Edilson e a segunda colocação no Rio: pelo menos mais dois desafios estão programados

Em mais um compromisso importante, dentre tantos que estão por vir este ano, o atleta Edilson Pará subiu ao pódio e somou mais uma medalha para a coleção. O lutador friburguense participou do Aberto de Verão de Jiu-Jitsu, promovido pela Federação do Estado do Rio de Janeiro (FJJRio), no Club Municipal, na Tijuca, Rio de Janeiro. Vários representantes de Nova Friburgo e região participaram, e um deles foi exatamente Edilson Pará, da Equipe Boi Team, na categoria Master 1, faixa preta até 70Kg.

Além dos adversários, Edilson enfrentou outro obstáculo até chegar à competição: o equilíbrio com a balança. O lutador revela que foi difícil conseguir bater o peso, e desta vez, tronou-se um adversário difícil de ser superado.

“Eu havia me inscrito pela primeira vez na categoria dos Leves, que tem o limite até 76kg, por já ter feito um esforço para bater o peso até 70kg, a menos de 30 dias. Mas na semana da luta resolvi mudar pra categoria Pena até 70kg, que é onde sempre luto e me sinto muito mais confiante. Porém, foi uma semana muito turbulenta, tive muita dificuldade em me manter focado no campeonato, minha sogra estava hospitalizada, bem debilitada, e veio a falecer na sexta-feira”, conta.

“Ela era mais uma mãe que eu tinha, uma pessoa que sempre me acolheu como um filho, sempre acreditou em mim, me incentivava, torcia, quando eu chegava das competições já me perguntava logo se eu tinha ganhado alguma medalha. Está sendo bem difícil, eu pensei em nem ir lutar, mas minha esposa falou: “Você vai sim, vai lá e ganha esse título”, conta.

Mesmo sem conseguir treinar com a mesma desenvoltura naquela semana, Edilson manteve o propósito de bater o peso. No entanto, a ajuda profissional e a dedicação foram determinantes para atingir o objetivo.

“Não consegui treinar bem naquela semana, o que dificultou ainda mais baixar o meu peso. Eu não tenho como deixar de destacar o dr. Daniel Folly, médico do esporte, que está me apoiando e me ajudou bastante a bater o peso nesse evento, mesmo estando longe. Ele me orientou o tempo todo, e eu nunca imaginei que ter um profissional deste nível fizesse tanta diferença. Sou muito grato pelo apoio, e também não posso deixar de agradecer ao Clayton (das lojas de colchões Sonho Bom), um amigo que está sempre me incentivando também. Deixo aqui meu muito obrigado ao Claudinho, da CCM, que além de um amigo também vem me patrocinando. E ao Vinícius e toda equipe da Conexão Academia & Clínica, que dispensam comentários.”

Sobre os próximos passos, Edilson afirma que vai tirar um período de folga pra cuidar da família e se recuperar, mas vai retornar aos treinos em breve para os próximos desafios que estão por vir. Dentre eles, há um convite para participar de um GP até 70kg, o Iguaçu Open Jiu-Jitsu, marcado para o dia 14 de abril, em Nova Iguaçu, na baixada fluminense.

“Não é um evento oficial, mas conheço os organizadores e tenho certeza que será um evento de alto nível”, garante.

A competição conta com um formato diferente. São oito atletas divididos em dois grupos com quatro lutadores cada, e a primeira etapa é classificatória. São realizadas três lutas em cada grupo, cada uma com três rounds de cinco minutos, e intervalos de um minuto. Cada atleta pode lutar até 45 minutos. Os dois atletas que somarem mais pontos seguem pra fase eliminatória do GP, onde mais duas lutas definem quem levará o cinturão de campeão para casa.

“Independente de estar ganhando nos pontos ou perdendo, meu objetivo nunca é amarrar a luta. Amarrando, eu me exponho menos, mas meu oponente também se expõe menos, eu solto o jogo que assim tenho mais possibilidades de finalizar. É claro que isso tem seu risco, mas eu banco ele”, diz sobre a estratégia.

Edilson revela ainda que não vai lutar em nenhum evento durante o mês de março, exatamente para manter o foco no GP de Nova Iguaçu. Logo na sequência, no início de maio, acontece o Campeonato Brasileiro oficial da CBJJ (Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu).

“É o titulo que todos almejam, eu também sou um desses, mas esse evento é realizado em Barueri, São Paulo. Exige um custo maior, com transporte, hospedagem alimentação, e já vou providenciar uma rifa. Se algum empresário da cidade tiver o interesse em ajudar, ficarei honrado em representar a marca ou empresa. Pode fazer contato através do telefone (21) 99674-1419, que também é whatsapp. Vou atrás de apoio pra poder viajar tranquilo e tentar trazer esse titulo. Esses são os próximos passos. Quero agradecer ao A VOZ DA SERRA, pela oportunidade de mostrar meu trabalho, e a todos aqueles que estão juntos comigo nessa luta diária.”

Foto da galeria
Atleta de Nova Friburgo em ação: mais um resultado importante neste início de temporada
TAGS: jiu-jitsu