Dia D de vacina contra sarampo tem baixa procura nos postos de Friburgo

Até meio-dia, só três pessoas de 20 a 29 anos tinham se vacinado na unidade de saúde do Suspiro. Campanha vai até 16h
sábado, 30 de novembro de 2019
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
O posto do Suspiro completamente vazio pela manhã (Foto: Guilherme Alt)
O posto do Suspiro completamente vazio pela manhã (Foto: Guilherme Alt)

A baixa procura pela vacina contra o sarampo tem preocupado os agentes de saúde de Nova Friburgo. Este sábado é o Dia D da vacinação contra a doença e, até as 12h15, apenas três pessoas procuraram o Posto de Saúde Silvio Henrique Braune, no Suspiro, normalmente um dos mais movimentados da cidade, para se imunizar. Nesta segunda etapa da campanha nacional, o público-alvo são jovens de 20 a 29 anos.

A vacinação acontece desde 9h, vai até 16h, e a ausência de filas pode ser um “algo a mais” para motivar aqueles que ainda não se imunizaram.  Os postos de saúde e unidades do programa Estratégia de Saúde da Família (ESF) espalhados pelas zonas urbana e rural oferecem doses gratuitas da vacina de combate ao sarampo.

Os jovens deverão comparecer em qualquer um dos quatro principais postos de saúde: Sylvio Henrique Braune (Suspiro), Tunney Kassuga (Olaria), Waldir Costa (Conselheiro Paulino) ou José Copertino Nogueira (São Geraldo). A imunização ainda estará disponível nas ESFs de Amparo, Centenário, Mury, Nova Suíça, São Geraldo, São Lourenço , Olaria III e Varginha.

“As pessoas não sabem a gravidade dessa doença. Ninguém está preocupado com a saúde. Dependendo da gravidade do caso a pessoa pode até morrer. Eu acho que apenas 30% dos friburguenses tem imunidade boa, o resto está tudo capenga’”, disse um homem que estava pelos arredores do posto do Suspiro.

Cartão de vacina

É importante que todos compareçam com o cartão de vacina em mãos para conferência. É necessário que cada pessoa receba ao longo da vida duas doses da vacina. Quem não tem o cartão precisa comparecer aos postos de saúde ou ESFs para atualizá-lo. Segundo o último boletim epidemiológico sobre o sarampo, a faixa etária alvo desta segunda fase da campanha é a que mais acumula número de casos confirmados da doença.

Nos últimos 90 dias de surto ativo, foram registrados 1.729 casos de sarampo em jovens de 20 a 29 anos. Só na cidade do Rio, 48 casos foram confirmados este ano, até 8 de novembro, dos quais 35 foram contraídos no próprio município. Outros 74 casos estão sendo investigados - o secretário de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde, Wanderson de Oliveira, explica que um dos motivos é que esses jovens não tomaram a vacina em nenhuma fase da vida e, se tomaram, não voltaram para aplicar a 2ª dose de reforço, necessária para a proteção.

Além disso, Wanderson acredita que existe uma perda da sensação de perigo por parte dos jovens de hoje em dia pois a doença é vista como comum, e que, na visão deles, não vai causar nenhum impacto grave para a saúde. As autoridades de saúde lembram também que este Dia D é uma excelente oportunidade para colocar em dia a caderneta de vacinação. O sarampo voltou a ter casos registrados em 18 estados brasileiros recentemente.

A doença

O sarampo é uma doença altamente contagiosa que pode evoluir para complicações e levar à morte. A doença pode ser evitada com a vacina tríplice viral, que protege também contra a rubéola e a caxumba. Ela é aplicada aos 12 meses, com reforço aos 15 meses com a tetraviral (sarampo, rubéola, caxumba e varicela). Até os 29 anos, a recomendação é tomar duas doses do imunizante. Entre 30 e 59 anos, a pessoa deve ser vacinada uma vez. Para quem não sabe se já tomou o número adequado de doses, a orientação é se imunizar.

Pesquisadores da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, conseguiram mostrar que o vírus do sarampo pode apagar, em média, 20% da memória imunológica do nosso organismo. Isso significa que pessoas que contraíram o vírus do sarampo têm risco aumentado de terem outras doenças infecciosas, inclusive doenças que o organismo já havia criado defesas. É como se o vírus do sarampo fosse a chave para liberar a entrada para novas doenças.

Vacinar contra o sarampo é importante para evitar complicações como cegueira e infecções generalizadas que podem levar a óbito. Por isso, o governo federal em parceria com os estados e municípios estão unindo esforços para vacinar 39,9 milhões de brasileiros, 20% da população, que hoje estão suscetíveis ao vírus do sarampo, de acordo com o Ministério da Saúde. A faixa etária de 20 a 29 anos concentra a maior parte desses brasileiros (35%).

 

TAGS: saúde | vacina