Dezembro foi um mês de alívio para o comércio local

Balanço da CDL-NF aponta que no ano passado houve crescimento acentuado de consumidores inadimplentes
terça-feira, 15 de janeiro de 2019
por Jornal A Voz da Serra
Movimento no comércio da Alberto Braune (Arquivo AVS)
Movimento no comércio da Alberto Braune (Arquivo AVS)

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Nova Friburgo divulgou esta semana os dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) referentes a 2018. Segundo a instituição, a inadimplência no comércio local apresentou crescimento acentuado no primeiro semestre de 2018, na comparação com igual período de 2017, mas começou a regredir a partir do meio do ano até registrar queda significativa no último trimestre, especialmente em dezembro.

De acordo com o presidente da CDL, Braulio Rezende, o número de consumidores inadimplentes em Nova Friburgo chegou a subir 30% no início de 2018 em relação aos mesmos meses do ano anterior. Esse crescimento influenciou nas vendas, que já tinham sido prejudicadas por fatores econômicos e também pela greve dos caminhoneiros.

“Foram tempos difíceis para o comércio, com redução consecutiva nas vendas e aumento na inadimplência. Vivemos um cenário de incertezas econômicas e políticas que foi agravado pela paralisação dos caminhoneiros, em maio”, lembra Braulio, que também é presidente do Sindicato do Comércio Varejista (Sincomércio) de Nova Friburgo.

Contudo, segundo a CDL, esse cenário apresentou uma melhora considerável no último trimestre do ano e a expectativa é de que a economia se mantenha mais estável neste início de 2019. “Na segunda metade do ano passado, a inadimplência passou a cair no município, chegando a encolher 11,4% em dezembro. Pelos dados do serviço de proteção, calculamos que cerca de 500 pessoas conseguiram retirar seus nomes do cadastro do SPC no último trimestre do ano. Este é um fato muito importante para nós porque, nos últimos anos, a curva era ascendente, ao contrário do que aconteceu em 2018”, informa o presidente.

CNDL aponta que inadimplência cresceu entre as empresas

Segundo o levantamento feito pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), o volume de empresas com o CNPJ inscrito nos cadastros de devedores cresceu 9,01% em novembro do ano passado, na comparação com o mesmo período de 2017, quando houve um avanço de 3,71%. Já em relação ao mês de outubro, o aumento foi de 2,17%.

Para as instituições, o cenário econômico continua afetando o resultado das empresas, que seguem com elevado índice de inadimplência. De acordo com o balanço, a alta foi puxada, principalmente, pela região Sudeste, com crescimento de 16,76%. A região Sul, que teve a segunda maior variação, registrou um aumento de 4%. Em terceiro lugar, aparece o Nordeste, com 2,22%. Na sequência vem o Centro-Oeste (1,84%) e a região Norte (0,49%).

Quanto ao número de empresas negativadas por setor, o de serviços foi o ramo em que a inadimplência mais cresceu em novembro de 2018, na comparação com o mesmo mês do ano passado, com um avanço de 13,20%. Este setor engloba os bancos e as financeiras. A agricultura vem logo em seguida, com 11,68%; enquanto o comércio teve 6,33% e a indústria, 5,32%. Em termos de participação, a maior parte das empresas negativadas atua no comércio (39,97%), seguida dos setores de serviços (39,97%) e indústria (9,21%).

Na avaliação do presidente da CNDL, José César da Costa, o alto número de empresas negativadas ainda reflete os efeitos da crise. “Mas já há sinais de retomada da economia e da confiança dos empresários para o próximo ano. Acredita-se que, à medida que os negócios se recuperem, a capacidade de pagamento das empresas em dificuldade deva melhorar”, explica.

 

TAGS: