Desconforto que persiste

terça-feira, 27 de março de 2018
por Jornal A Voz da Serra

         O MOVIMENTO nesta época que nos aproximamos do feriadão da Páscoa mostra mais uma vez que a população vai às ruas para as compras dos ovos e demais chocolates ou simplesmente andar pelas lojas. Bom para o comércio, bom para os consumidores. Porém, nem tudo anda bem para o lado dos pedestres.    

NÃO É DE hoje que os friburguenses encontram empecilhos por onde passam.  Pistas interditadas, calçadas esburacadas, ruas e avenidas desniveladas, tapumes em obras inacabadas e rebocos de velhas pinturas revelam que a cidade precisa de manutenção. Tais problemas são antigos e tornam a vida do pedestre, se não difícil, pelo menos mais arriscada.

         AS CALÇADAS são um perigo constante devido às irregularidades do piso, expondo o pedestre aos riscos de um acidente. Tal fato ocorre frequentemente e mostra que os proprietários não se preocupam com os imóveis, inclusive com as calçadas. Resultado: escorregões, buracos e um grande risco para uma livre circulação.

         INÚMEROS imóveis na cidade apresentam sinais de desgaste e falta de manutenção das fachadas, oferecendo perigo a quem passa sob marquises, enfrentando riscos que algumas vezes ocasionam acidentes. Com um número expressivo de pedestres circulando nas ruas, Nova Friburgo não consegue sensibilizar os proprietários a viver numa cidade sem tantos problemas para a comunidade em geral.

         A PREFEITURA pode, com os mecanismos próprios de posturas e fiscalização, exercer uma ação mais eficaz visando à segurança e o conforto da população. É hora de oferecer um chão mais seguro para todos os pedestres.

TAGS: