Desafio aos candidatos

quinta-feira, 18 de agosto de 2016
por Jornal A Voz da Serra

COM A LARGADA para a campanha eleitoral às prefeituras e câmaras de vereadores, um dado salta à vista e deve ser motivo de preocupação para quem vencer as eleições de outubro próximo. Nada menos que 87% dos municípios brasileiros estão às voltas com sérios problemas fiscais. A situação, que se repete no Rio de Janeiro, onde a maioria das prefeituras enfrenta dificuldades, dá uma ideia do desafio à espera dos futuros administradores das cidades. 

O RESULTADO é potencializado pela crise econômica e deve-se à redução de transferências federais e estaduais, à baixa capacidade de geração de receita própria e à elevação nos gastos com pessoal. Como a recessão encolheu os ganhos com impostos e ampliou as demandas sociais, é urgente o enfrentamento do problema, para evitar ainda mais frustração nas comunidades. 

O DIAGNÓSTICO das dificuldades, apontadas por um levantamento recente divulgado pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), preocupa por demonstrar que bons resultados financeiros nas gestões municipais são exceção. Em 2015, ano levado em conta pelo estudo, apenas 42 dos 5.568 municípios brasileiros conseguiram pagar a folha de pessoal com recursos próprios. 

EM MEIO ÀS dificuldades, 15,8% das prefeituras ultrapassaram os limites da Lei de Responsabilidade Fiscal, prenunciando consequências sérias para os gestores que tomarão posse em janeiro. Diante do risco de falência de muitas administrações municipais, é preciso que o período de campanha eleitoral contribua para propor saídas.

O ALERTA apontado pela Firjan serve também para os candidatos em Nova Friburgo. O vencedor terá pela frente um período de vacas magras e será preciso pulso firme, criatividade e vontade política para superar as dificuldades. Controle dos gastos públicos, critérios para novos investimentos e alinhamento com as politicas econômicas do país são exigências das quais o gestor não poderá fugir.  

É NAS CIDADES que os contribuintes vivem e precisam ter asseguradas condições de bem-estar e mais qualidade nos serviços públicos. Cada município tem de encontrar seu próprio caminho, mas todas as possibilidades incluem rigor fiscal e aposta na atração de investimentos para a geração de riquezas e oportunidades de trabalho.

TAGS: