Defesa improdutiva

quinta-feira, 20 de outubro de 2016
por Jornal A Voz da Serra

DEU O QUE falar o artigo publicado na edição de terça-feira, 18, do jornal Folha de São Paulo feito pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Nele, o petista alega que seus adversários e a imprensa “jamais encontraram um ato desonesto” de sua parte. Às vésperas de completar 71 anos, no próximo dia 27, Lula se considera vítima de “uma verdadeira caçada judicial”.

NA DEFESA de sua biografia, o ex-presidente atribui as investigações de que é alvo a adversários políticos, à ignorância dos investigadores sobre o funcionamento de um governo de coalizão, a campanhas midiáticas e aos inimigos do projeto político implantado pelo PT. É um texto bem escrito e que coincide com a intensificação dos rumores sobre sua prisão. Faltou, porém, uma menção mais incisiva às roubalheiras do mensalão e da Petrobras, que não são invenções dos inimigos de seu partido. 

NA TENTATIVA de se defender, e em seu contínuo processo de se apresentar como vítima, o ex-presidente prefere atacar instituições e sequer admite a proximidade com empreiteiros amigos. Se não reconhece sequer o que está claro para todos, que dirá admitir a culpa. Os próprios operadores das falcatruas vêm confessando seus crimes, denunciando o envolvimento de políticos e até devolvendo parte dos recursos desviados. 

FOI NO GOVERNO de Lula e de sua sucessora, Dilma Roussef, que tais irregularidades se acentuaram e adquiriram dimensões jamais vistas no país. Mesmo insistindo em ver o mundo pela ótica do complô, o fato é que o ex-presidente já foi denunciado três vezes desde o início da Lava-Jato, tornando-se réu em Curitiba e em Brasília por suspeitas de crimes que vão desde lavagem de dinheiro até corrupção ativa e passiva, além de tráfico de influência e tentativa de obstrução da Justiça. 

O ARTIGO foi publicado um dia antes da prisão do ex-presidente da Câmara, o deputado federal, Eduardo Cunha (PMDB), determinada pelo juiz Sérgio Moro. A prisão sepulta a tese pleiteada pelo lulopetismo de que a ira contra Lula é uma luta partidária.  

NADA CONTRA o ex-presidente Lula ocupar espaços na mídia para se defender, o que contribui para desmentir sua tese de que os grandes veículos de comunicação estão contra ele. Mas também é essencial que apresente à Justiça argumentos mais consistentes do que um artigo bem escrito. 

TAGS: