As cores da pintora carioca Dila Vidal na Galeria da Usina Cultural

Exposição vai até 31 de julho, de terça a sábados, das 13h às 18h
quarta-feira, 19 de junho de 2019
por Jornal A Voz da Serra
Uma das telas de Dila Vidal (Foto: Regina Lo Bianco)
Uma das telas de Dila Vidal (Foto: Regina Lo Bianco)

A Energisa e a Fundação Cultural Ormeo Junqueira Botelho apresentam a exposição “É junto, mas separado também funciona”, da pintora carioca Dila Vidal, na Galeria da Usina Cultural. A mostra fica em cartaz até 31 de julho, e pode ser apreciada pelo público, entre terças e sábados, das 13h às 18h. O espaço fica na Praça Getúlio Vargas, 55, no Centro, telefone (22) 2522 3687.

Dila Vidal é um exemplo de artista plástica eclética e colorista das melhores. Contemporânea - sem precisar se esforçar para tal - usa a cor como matéria-prima primordial de seu trabalho, iniciado há muitos anos em Nova Friburgo, com velas em bambu e inusitadas peças de acrílico sobre madeira.

As artes estão no DNA da família: o pai, Gaia Vidal, foi arquiteto, engenheiro e pintor hiper-realista reconhecido, atuando como contratado exclusivo da extinta Galeria Borghese, no Shopping da Gávea; a mãe pintava tecidos e, entre as irmãs, uma foi bailarina do Teatro Municipal do Rio de Janeiro e a outra é exímia desenhista de botânica. E perpetua-se na história das artes com os filhos Caetano, Clara Mei e Pablo.

Até mesmo em função do talento hereditário, Dila é autodidata, inspira-se no cotidiano para criar e deixa-se levar pelas ideias que afloram à cada etapa de sua vivência: "Pintar é minha vida. Quanto mais pinto, mais ideias surgem e mais cores espalho pelas telas. De onde vem a arte? Vem da cultura popular onde, desde sempre, existiu a manifestação do ser através do canto, da dança e dos desenhos", destacou.

Parcerias bem-sucedidas

Ao longo de sua carreira, Dila expôs no Centro Cultural Carioca, no Castelinho 38 (em Santa Teresa), no 00 Lounge, na Feira do Mobiliário de Madri, entre outros espaços. Montou um ponto de venda no Shopping Rio Sul, com sua marca estampada em quadros, objetos de decoração, telas, almofadas, bolsas de tecidos e utilitários customizados.

Como empreendedora, foi proprietária de uma fábrica de bonecas artesanais, a Magic Doll, e criou vitrines para diversos estabelecimentos comerciais. Fez sucesso com parcerias bem sucedidas em lojas de Búzios e Parati, que alavancaram a venda de suas obras para a França, México, Canadá, Japão, Estados Unidos, Espanha e Portugal. Seus trabalhos também podem ser vistos em cenários de novelas, minisséries e peças de teatro.

Admiradora de artistas como Jean Michel Basquiat, Frida Kahlo, Beatriz Milhazes e dos irreverentes grafiteiros, Dila acredita que a beleza visual é um direito de todos, o que a incentivou a criar uma ‘arte mais acessível’ que se reflete na apresentação de seus trabalhos, com dimensões e formatos dos mais variados. "De onde vem a arte? Vem da cultura popular onde, desde sempre, existiu a manifestação do ser através do canto, da dança e dos desenhos".

Dila Vidal apresenta o mundo da forma como o vê: através de ricas composições que misturam elementos do dia a dia com cores vibrantes, sua marca registrada.

 

TAGS: Artes plásticas