Contribuição fundamental

segunda-feira, 01 de agosto de 2016
por Jornal A Voz da Serra

EMBORA estejamos vivendo a plenitude das Olimpíadas Rio 2016, com a passagem da tocha por Nova Friburgo, A VOZ DA SERRA não poderia deixar de registrar a comemoração do Dia do Agricultor, ocorrido na última quinta-feira, 28 de julho.  O agricultor é um dos profissionais que mais merecem ser reverenciados por todos. Ele é o principal responsável pelo nosso alimento. O município, com fortes raízes no meio rural, tem na agricultura um importante destaque em sua economia com a geração de emprego e renda para muitas pessoas.

FELIZMENTE, a imagem do agricultor está mais próxima da realidade. Trata-se de um dos profissionais mais respeitados, que dedica sua vida para atender a principal necessidade das pessoas: alimento de qualidade. É ele que trabalha muito, levanta cedo, com chuva ou frio, não tem sábado ou domingo, Natal, ano-novo, carnaval, etc. Que depende muito do clima, das flutuações dos valores recebidos, que tem dificuldade de acesso a crédito e seguro e, às vezes, ainda é taxado de destruidor na natureza.

O ESTADO do Rio está preparado para se tornar um polo de agricultura sustentável do país e os esforços neste sentido podem ser vistos nas áreas de agricultura favorecidas pelo estado, inclusive a Região Serrana. As metas ambientais são ambiciosas, segundo o governo. Nos planos estão incluídas a preservação de nascentes, a reposição de matas ciliares, recuperação de solos degradados e o apoio ao agricultor no cumprimento do Código Florestal. Com este avanço, Nova Friburgo espera obter melhorias no trabalho de reconstrução de sua área rural, também com enfoque sustentável. 

DENTRO DAS perspectivas de crescimento municipal, a agricultura tem peso considerável e, mais ainda, possibilidades concretas de desenvolvimento. Para isso, todas as redes produtivas da olericultura, fruticultura e floricultura precisam receber incentivo. O trabalho realizado pela Secretaria Municipal de Agricultura tem sido de fundamental apoio ao agricultor, através de políticas de aumento da produtividade. Porém, não é suficiente para fazer crescer este setor da economia, que precisa, além de verbas, de assistência técnica, fomento à pesquisa também pela iniciativa privada, além de infraestrutura de serviços públicos. A área rural friburguense pode crescer e só precisa receber das autoridades a atenção que merece. 

A IMAGEM DO “Jeca Tatu”, do caipira, não se aplica mais aos agricultores. Nem a do “coronel”, prepotente, explorador, ou do “chorão”, atrás das benesses governamentais; o agricultor brasileiro é um dos que menos recebem subsídios. Muito menos se aplica a imagem do destruidor do ambiente. O agricultor sabe que seu sucesso depende do respeito aos recursos naturais. Ele é um ecologista. Os agricultores são grandes heróis e merecem a homenagem de toda a sociedade.

TAGS: